Capítulo quinze

86.5K 5.8K 5.2K
                                    

Milena🌸

Mi: Você tem mesmo que ir agora?

Coringa: Assim tu me quebra, Milena.

Mi: Não vou te fazer escolher, então vai lá, depois a gente se fala.

Coringa: Se eu ficar, eu ganho o que?

Mi: Tudo que você quiser...- Falei sem pensar, e ele riu, me deixando envergonhada.

Coringa: Me da teu cu então.

Mi: Que mania vocês tem de querer cu, meu Deus. O cu da mais tesão que a buceta, é isso?

Coringa: É foda, principalmente quando tu pega essas mina que é arrombada.

Mi: A xota de uma mulher tem a elasticidade pra passar um bebê, mano. E vocês acham que arrombam ela com uma piroquinha mixuruca?

Coringa: Tô fazendo hora aqui já, só fico se for me dar alguma coisa.

Mi: Então pode ir embora.- Empurrei ele.- eu quero que você fique porque quer, e não pra ter algo em troca. E aliás, você não disse que tinha muito trabalho, vai lá então, outra hora você vem.

Coringa: Eu deixo tudo na mão do pt, ele sabe cuidar das parada quando eu não tô..- Entrou, segurando na minha cintura.

Fechei a porta olhando pra ele, que sorriu fraco saindo na frente. Por um lado eu sabia que não tava certo, mas por outro eu tava gostando, do friozinho na barriga que eu nem lembro quando foi a última vez que eu senti.

Ele me levou pro quarto, e eu confesso que tava toda bobinha, deixado ele comandar tudo aquilo.

Quando parei pra reparar, nossas roupas já estavam no chão, e não tinha mais como voltar atrás.

Ele puxou com certa força o meu cabelo passando a língua no meu pescoço, e eu já me derreti todinha, sentindo esse toque dele sobre o meu corpo.

Ele apertou a minha bunda, alisando a minha coxa em seguida, e mordeu meu lábio inferior puxando a minha perna um pouco pra cima.

Mi: Me fode logo, Coringa...- Ele me levou até a cama, e ficou por cima de mim, passando a mão na minha intimidade por cima da calcinha, e eu me contorci rebolando, e querendo mais contato.

Ele tirou a minha calcinha, passando o dedo pelo meu clitóris, e depois abaixou a cabeça ficando no meio das minhas pernas, me chupando de um jeito inexplicável.

Abri mais as pernas, e gemi mais alto quando ele enfiou dois dedos, fazendo um movimento calmo, entrando e saindo, me deixando muito mais molhadinha do que já estava.

Mi: Tem camisinha, ali dentro...- Falei ainda me recuperando do orgasmo, ele pegou, vindo pra minha frente e tirou o pau pra fora, era grande e também grosso, do jeito que eu gostava.- posso colocar?

Ele apenas balançou a cabeça, eu rasguei o pacote da camisinha, e abaixei a minha cabeça fazendo uma garganta profunda, babando todo o pau dele.

Coloquei na cabecinha, e fui descendo até em baixo, olhando no olho dele.

Coringa: Tu é gostosa pra caralho, vai se fuder! - Se ajeitou, e foi enfiando com calma na minha xota, quando ele viu que pra mim tava de boa, ele apertou o meu peito estocando de uma vez, me arrancando um gemido alto.

Ele tinha uma pegada do caralho, e sabia me fuder de um jeito que eu nem preciava pedir por mais, que porra de homem gostoso.

Dessa vez eu quis comandar um pouco, então ele ficou deitado na cama, e eu subi em cima. Encaixei a minha buceta no pau dele, e de primeira fui devagar, ele deu um gemido rouco em resposta, e mordeu o meu lábio inferior, segurando na minha bunda, e os nossos gemidos se misturaram naquele quarto, já tinha me acostumado com o tamanho, então eu comecei a sentar violentamente naquele pau, que no momento era só meu.

▪▪▪
+100

No MorroOnde as histórias ganham vida. Descobre agora