Capítulo trinta e um

72.7K 4.7K 2.8K
                                    

Bruna🎭

As vezes eu dava risada de certas coisas que aconteciam, mas não por achar engraçado, e sim por puro nervoso.

Cabelinho: Tá rindo de que, tem algum palhaço aqui?

Bruna: Não.- Falei rindo.- é que o pt também me trouxe chocolate, e me chamou pra sair hoje a noite.

Cabelinho: Deixa pra outro dia.

Bruna: Gatinho, eu não posso fazer isso. Porque eu já disse que iria, não vou desmarcar de última hora pra sair com você.

Cabelinho: Beleza! - Balançou a cabeça.

Bruna: Mas você quer entrar?

Cabelinho: Teu namorado vai ficar bravão...- Eu ri.- não vou pagar de talarico não, Bruna.

Bruna: Ele não é meu namorado, vai entrar ou não?

Ele novamente balançou a cabeça, eu dei espaço e ele entrou de cabeça baixa.

Já fazia um tempo que eu sabia das intenções do Cabelinho, quando se tratava de mim, mas eu nunca disse nada.

Também tem o Pietro, que vive me rodeando, e eu até gosto de ficar com ele.

Depois do que aconteceu, pt ficou mais perto de mim, me apoiando. Até quando eu descobri da morte do Menor.

Sensação horrível, você dar conselhos, fazer de tudo pra ajudar a pessoa. E só depois perceber que nada daquilo, foi o suficiente pra tirar ela da escuridão.

O que mais me doeu, foi o fato de que ele me trocou, como se eu fosse um objeto! Menor não era um cara fácil de lidar, mas eu sempre tava lá tentando, mesmo que a nossa relação nunca passasse de uma transa.

Cabelinho: Tá pensando no que? - Olhou pra mim, após eu ficar um bom tempo calada.

Bruna: Em como a minha vida mudou muito, tipo do nada.

Cabelinho: É foda, mas pelo menos tu se juntou com quem se importa de verdade, né? - Balancei a cabeça.- nada justifica, ele ter feito essa parada contigo. Só que com isso, a tua vida não foi pra melhor, mas também não foi pra pior né?

Bruna: Ficou tudo estável, mas por um lado eu gosto daqui! Só que me dói lembrar disso as vezes, acho que dá mesma forma que iria doer em qualquer pessoa.

Cabelinho: Se tu quiser ficar com o pt, de boa.- Riu fraco.- minha amizade contigo vai continuar sendo a mesma, pode pá?

Bruna: Não posso ficar com os dois? Queria um ménage, poxa.- Fiz biquinho, ele riu segurando no meu rosto.

Cabelinho: Tu é gostosa pra caralho!

Bruna: É, eu sei.

Cabelinho: Já que tu não tá namorando, eu posso te beijar?

Bruna: Achei que eu ia precisar pedir...- Ele riu, apertando a minha bunda, e me beijando devagar.

Ele colocou as mãos entre o meu cabelo, e dei uma leve puxada, enquanto mordia a minha boca.

O beijo tava tão bom, que tava até me deixando excitada, mas tudo foi interrompido pelo barulho da porta batendo.

Pt: Talarico, filho da puta...- Xingou, querendo ir pra cima do Cabelinho, mas eu entrei na frente.

Bruna: Talarico por que? Eu tô namorando contigo? Deixa de ser emocionado, caralho.

Pt: Tu é uma vagabunda, Bruna. Eu tava te dando mó moral, vai se fuder.

Bruna: Vagabunda porque eu sou solteira e fico com quem eu quiser? Então pode me chamar de vagabunda!

Cabelinho: Ai irmão, eu sabia mas ela também confirmou que vocês não tinham nada, o único errado aqui é você.

Bruna: Você não precisa dar explicações, deixa ele!

Pt: Cala a boca! - Me empurrou, com toda força.- desgraçada, achei que tu fosse meu parceiro! - Apontou pro Cabelinho.

Cabelinho: Que homem é você, que levanta a mão pra uma mulher? - Foi pra cima, dando um soco na cara do Pietro.

Minha cabeça rodou mil vezes, e eu vi os dois se socando no chão, mas o Cabelinho batia mais, e o Pt parecia que ia desmaiar, o que me fez gritar várias vezes pra parar.

▪▪▪
+100

No MorroOnde as histórias ganham vida. Descobre agora