Capítulo cinquenta e nove

55.6K 3.8K 1.4K
                                    

Milena🤑

Acordei no meio da noite com a claridade da luz do banheiro, e quando olhei pro lado vi só a Beatriz que tinha vindo dormir com o pai, Thiago avisou que hoje iria chegar tarde, mas eu não imaginei que fosse demorar tanto assim.

Eu ia pegar o celular em cima do criado mudo, mas o barulho de alguma coisa caindo no banheiro me fez assustar.

Mi: Coringa, o que foi? - Perguntei baixo, vendo ele tentar limpar o nariz que sangrava, quando eu entrei no banheiro.

Coringa: Nada, vai deitar...- Mandou, mas eu neguei com a cabeça, e quando ele olhou pra mim eu reparei nos olhos vermelhos.

Mi: Você tá drogado, de novo. Thiago você me prometeu que não ia usar muito, você quer morrer cara?

Coringa: Já falei pra tu ir pra cama!

Mi: E você não manda em mim.- Falei igual uma criança, cruzando os braços.

Coringa: Foi mal, vacilei contigo mais uma vez.- Me aproximei dele, pegando o papel e começando a limpar o nariz dele.- tu sabe que eu não faço todo dia, eu tava de boa fumando e depois que puxei um foi vários.

Mi: Você tem uma filha, Coringa! Ela precisa de você, e eu também preciso.

Coringa: Eu tô conseguindo controlar o vício, antes era bem pior...- Falou fazendo careta.- tá ardendo essa porra.

Mi: Tá conseguindo controlar desse jeito? Ui, parabéns em.

Coringa: Assim tu não me ajuda, cara de cu! - Eu ri, dando um beijo nele e deixando o papel do lado.- desculpa, pô.

Mi: Só me promete que vai com calma? - Ele balançou a cabeça, apertando a minha bunda.

Eu tava indo pra cama de novo, mas ele me puxou pra fora do quarto me levando pro outro que tinha do lado.

Mi: Não vou transar com você, tô querendo ir dormir sabe? - Eu tava só calcinha e uma camisa dele, então ele me empurrou pra cama e passou a mão na minha intimidade, mordendo a minha boca.

Coringa: Eu quero transar, eai? Eu sei que tu quer, safada.- Ele afastou a minha calcinha pro lado e eu já me arrepiei toda abrindo as pernas pra ele que sorriu.

Mi: Sua filha tá no quarto do lado...- Falei baixo, entre os gemidos quando ele começou a esfregar o meu clitóris, e as vezes penetrava três dedos.

Coringa: Ela tem o sono pesado, e a porta tá fechada, tu não precisa gemer igual uma cachorra no cio, pelo menos não hoje.

Xinguei ele de filho da puta me mexendo quando ele começou a fazer os movimentos com pressa, enquanto beijava a minha boca e as vezes chupava o meu pescoço.

Mi: Eu quero te chupar também...- Falei manhosa, descendo minha mão pra barriga dele.

Mandei ele deitar na cama e fiquei por cima na posição 69, ele colocou a língua no meu buraquinho o que me fez gemer um pouco alto, e eu tirei o pau dele que já bababa pra fora. Passei língua na cabecinha, mas depois coloquei quase tudo na boca, no mesmo momento que ele me chupou com força.

Coringa: É assim que tu gosta, gostosa. - Apertou a minha bunda, enquanto eu me mexia procurando por mais contato.

Mi: Uhum, fode a minha buceta, me faz gozar no teu pau! - Rebolei mais uma vez, e dspois troquei de posição, encaixando a minha buceta devagar no pau dele.

Ele apertou a minha bunda me xingando, eu apoiei minhas mãos no peito dele e comecei a sentar com força, tentando gemer baixo a cada sentada, Thiago me puxou pelo cabelo grudando os lábios dele no meu, eu gemia contra  a boca dele sentindo minha xota piscar, e apertar o pau dele, me mexi sentindo meu corpo mole, ele se virou me deixando por baixo e foi metendo cada vez mais rápido, até gozar na minha barriga.

▪▪▪
+100

No MorroOnde as histórias ganham vida. Descobre agora