Capítulo dezesseis

85.8K 5.8K 3.9K
                                    

Coringa🔥

Que mina é essa mermão? Papo reto, era tudo que eu gostava, e mais um pouco, se pá sabia comandar a porra do sexo bem mais que eu.

Mi: Eu vou gozar, hmm.- Gemeu, sem parar de sentar no meu pau.

Coringa: Deixa eu encher a tua bucetinha de porra...- Apertei a bunda dela, fazendo ela quicar mais rápido.

Ela deu um último gemido gostoso pra caralho, e eu já senti a xota dela contrair e apertar o meu pau, o que me fez sentir altas parada, e também gozar na camisinha, enquanto movimentava dentro dela.

Tirei a camisinha, dei um nó e joguei no lixo, quando voltei ela tava toda aberta na cama, estimulando o grelinho.

Meu pau já latejou pra caralho só de ver aquela porra de cena gostosa, e só de ouvir a Milena gemer toda manhosa.

Ela levou os dedos até a boca, e depois enfiou na buceta, gemendo e me olhando, porra de mulher gostosa.

Passei a língua pelo grelinho dela, e chupei com força, enquanto ela apertava o meu cabelo, gemendo e se contorcendo, as vezes eu enfiava minha língua no buraquinho, e pouco tempo depois de muitos gemidos, ela gozou na minha boca.

Milena se ajeitou na minha frente segurando no meu pau, e passou a língua na cabecinha, segurei no cabelo dela, e nem precisei pedir, ela logo enfiou quase tudo na boca, o que sobrou, ela masturbava com a mão.

Coringa: Vou gozar, caralho! - Joguei  a cabeça pra trás, e ela não parou, fazia tudo, só que com mais intensidade.

Mi: Goza na minha boca...- Franzir a testa, e nem precisou de mais pra eu liberar toda a minha porra na boca dela, Milena sorriu safada, deixando o meu gozo escorrer, e depois engoliu sem fazer careta.

Ela deitou na cama, e eu fiquei peladão na frente dela, que fazia uma cara enjoada olhando pro celular.

Coringa: O que foi?

Mi: Minha mãe tá vindo pra cá...- Murmurou.

Coringa: Vou meter o pé.

Ela concordou com a cabeça levantando da cama, e eu fui procurar as minhas parada, que tava pela casa.

....

Menor: Foi malzão, pela irresponsabilidade.

Coringa: Eu não vou ficar passando a mão na cabeça de moleque emocionado não, carai. Ou tu vira homem nessa porra, ou se fode sozinho.

Menor: Tu tem o maior respeito, e eu sou um zé ninguém aqui dentro.

Coringa: Tu é o meu braço direito desgraça, mas parece que eu tô sozinho nessa porra. Se orienta, cuzão.

Papo reto que geral me respeitava mais do que ele aqui dentro, um bagulho que é errado, Menor com vinte e dois anos só quer saber de curtição e porra nenhuma. Eu sou igual, mas sei das minhas obrigações como o dono daqui.

Ele abaixou a cabeça e foi saindo calado, nem ia render mais na dele, o papo foi dado, segue quem quer.

Nunca quis subir mais que ele, e muito menos querer disputar poder.

Pt: Tava com a loira gostosa?

Coringa: Ai, mais respeito com a mina certo?

Pt: Tá gamado?

Coringa: Que porra de gamado, bandido não se apaixona não carai, só segue o baile.

Pt: Depois vai tá ai cheio de planos, tô ligado.

Só tinha deixado uma única mulher entrar na minha cabeça, e foi a mãe da Beatriz. Era apaixonadão mermo, e não negava pra ninguém, Milena também é foda, só que eu não vou deixar outra mulher entrar na minha mente, só tomo no cu com esses bagulho de ser um fodido apaixonado.

▪▪▪
+100

No MorroOnde as histórias ganham vida. Descobre agora