Chapter 24: Por que me odeia tanto?

6.4K 269 0

[Gabriele]

Depois do almoço eu resolvi ficar na entrada do acampamento sentada pensando um pouco. Aquele acampamento me lembra de coisas ruins, me lembra do Thiago. Estava lá olhando pro nada quando de repente sinto algo bater em minha cabeça e meu corpo estremecer, sinto minha roupa ficando toda molhada, me levanto rapidamente e vejo Louis com um balde cheio de bexigas de água prestes a atacar em mim. Cerro os dentes e o fuzilo com os olhos, ele deixa o balde no chão e pega duas bexigas e ataca em mim. Corro atrás dele, ele corre de mim e eu pego uma bexiga. Quando vou atacar nele, ele abaixa e BAM!

– MAS QUE PALHAÇADA É ESSA? - A coordenadora Rosália estava agora totalmente ensopada.

– M-me desculpa, era pra atacar no Tomlinson! - Eu gaguejei apontando pro palhaço que só ria. Ela respirou fundo e finalmente disse.

– Vocês dois já chegaram causando, não é? Então vão ficar na cabana perto do lago, e vão dormir juntos lá até domingo! - Arregalei os olhos e Lou fez o mesmo.

– Não pode ser! EU NÃO POSSO PASSAR O ACAMPAMENTO TODO DORMINDO NO MESMO QUARTO QUE ESSE... ESSE... - Mil palavra passaram na minha cabeça, mas nenhuma apropriada para o momento - Esse palhaço. - Mantive a calma.

– E eu não posso passar o acampamento todo dormindo no mesmo quarto que essa mal-humorada! - Ele disse cruzando os braços.

– Não podem? Vocês vão ver como podem! Vão pegar suas coisas agora e vou acompanhar vocês até a cabana. - Ela deu um sorriso sínico. Bufei e fui batendo pé até o chalé, aposto que o palhaço fez o mesmo. Entrei batendo a porta totalmente revoltada e coloquei minhas roupas tudo na mala de qualquer jeito. Depois de uns 15 minutos eu voltei pro pátio principal, e ela estava lá esperando. Louis chegou um pouco depois que eu e ficou me encarando. Revirei os olhos e bufei de novo. - Agora vamos crianças. - Ela disse e fomos logo atrás, eu de um lado e Lou de outro, só trocando olhares de raiva. Depois de andar bastante, passamos pelo lago e finalmente chegamos na cabana. - Espero que vocês não se matem! E não saiam da cabana até dar quatro horas! - Rosália disse e tomou o caminho de volta.

– Não prometo nada. - Murmurou quase num sussurro Lou. Entramos na cabana, era até bonito, tinha duas camas uma de cada lado do quarto, e cada uma continha um baú no pé para guardar as roupas. Tinha uma escrivaninha no meio das duas e várias prateleiras com muitos enfeites e livros. Do lado de uma das camas havia uma porta que iria para o banheiro.

– Eu fico com essa. - Lou apontou pra cama da direita.

– Tanto faz. - Murmurei jogando minha mala em cima da outra cama.

– Vamos fazer assim, você não fica de mau-humor e eu não te encho o saco enquanto estivermos no acampamento, pode ser? - Propôs Louis observando o quarto.

– Não prometo nada. - Disse e sorri maliciosamente e ele revirou os olhos - Tudo bem Lou, por que me odeia tanto? - Perguntei sentando do lado dele.

– Eu não te odeio, eu só gosto de chamar atenção. - Sorriu, não um sorriso sínico, um sorriso normal.

– Mas por que a minha atenção? - Disse enfase no minha.

– Eu gosto de chamar atenção de meninas bonitas... - Corou de leve, me surpreendi com a resposta.

– Me acha bonita? - A essa altura eu deveria estar com os olhos do tamanho da cara.

– B-bom... Você não é feia. - Ele abaixou a cabeça mas pude ver que tinha corado mais ainda, e eu senti minhas bochechas queimarem.

– Você também não é feio. - Sorri.

– Obrigado. - Ele levantou a cabeça e deu um sorriso sincero.

– Lou... - Eu disse encarando ele.

– Sim? - Perguntou me olhando e por um minuto me perdi naqueles profundos olhos azuis. Ele não desviava o olhar e eu muito menos. Fomos nos aproximando, mas eu finalmente disse.

– Isso tá ficando estranho! - Me afastei dele e abaixei a cabeça.

– É sim, sua chata. - Ele brincou e eu ri.

– Tudo bem, vou arrumar minhas coisas. - Me levantei e comecei a tirar minhas roupas da mala e colocar no baú. Lou nem se mexeu, ficou me observando enquanto arrumava minhas coisas com um sorriso bobo na cara - Lou? - Perguntei estranhando aquele comportamento.

– Sim? - Me olhava agora sério.

– Não vai arrumar suas coisas?

– Ah. - Ele riu pelo nariz - Sim sim... - Levantou e começou a arrumar suas roupas. Não dissemos mais nenhuma palavra. Acabei e me sentei na minha cama e comecei a observar como ele fazia tudo com tanta delicadeza. Estranho para um garoto, estranho para o Lou. Sorri ao ver que ele tinha cuidado com suas coisas - Que foi? - Ele me encarou.

– Você faz tudo com tanto cuidado... - Eu disse ainda sorrindo.

– Eu gosto de cuidar do que é meu. - Ele deu um sorriso meigo e eu retribui.

– Vamos que já são quase quatro horas. - Eu disse me levantando e ele fechou o baú dele.

– Vamos... - Abriu a porta da cabana e fez "reverencia" para eu passar - Primeiro as damas!

– Obrigada cavalheiro. - Eu disse fazendo cara de "uau" pra ele, que sorriu. Começamos a andar a caminho do pátio principal, que era um pouco longe da cabana. A brisa batia em meu rosto, e quando passamos pelo lago veio a tona as lembranças daquele dia. Meu corpo todo estremeceu lembrando do momento em que fui empurrada naquele lago. Suspirei angustiada e abaixei a cabeça tentando tirar essas lembranças do meu pensamento.

– O que foi? - Lou perguntou percebendo meu estado.

– Esse lugar me traz lembranças ruins... - Disse agora observando o lago que parecia estar gélido e frio.

– Quer falar sobre isso? - Lou perguntou e na mesma hora que disse eu olhei pra ele meio confusa.

– Louis Tomlinson querendo ouvir meus problemas? - Arqueei uma sombrancelha e parei de frente pra ele.

– Só queria ser legal. - Deu de ombros e continuou a andar.

– Quem sabe uma outra hora eu possa te contar o que aconteceu. - Eu disse agora voltando a acompanhar ele.

– Serei sempre ouvidos. - Sorri e eu sorri de volta. Chegamos a ala de shows e nos sentamos perto de onde o pessoal estava.

– Estranho ver vocês andando normalmente um ao lado do outro sem se matar .- Sussurrou Rafaela em meu ouvido.

– Quem sabe assim a dona Rosália não me coloca de volta no chalé junto com vocês. Temos que pelo menos fingir que nos entendemos. - Sussurrei de volta tentando disfarçar que eu e Lou paramos de nos odiar um pouco. Ou não?

– Aquele sorriso bobo que você tinha na cara quando chegou aqui me dizia outra coisa... - Ela disse e sorriu maliciosamente.

– Cala a boca Rafaela, o show de abertura já vai começar. - Revirei os olhos e ela riu pelo nariz.

– Você não me engana garota! - ela disse e piscou pra mim

– Você está se enganando sem a minha ajuda. - disse e olhei pra frente pois um funcionário do acampamento começou a falar no microfone.

You Got To Change Everything ( One Direction )Leia esta história GRATUITAMENTE!