Capítulo 19 (Dia 4)

1.9K 291 245

You know I want you
It's not a secret I try to hide
You know you want me
So don't keep saying our hands are tied

Você sabe que eu te quero
Não é um segredo que tento esconder
Você sabe que me quer
Então não fique dizendo que estamos de mãos atadas

Setor 6 | 12 ºC
Contagem regressiva: 15 dias

Ontem, depois do susto e de nos sentirmos aliviados com a volta do Armon, nós verificamos todas as armas que temos disponível. Escolhemos um local, uma hora, elaboramos o plano. Por mais arriscado que seja, não temos opção.

Hoje, passamos horas discutindo sobre o que planejamos, considerando todas as hipóteses.

Nada pode falhar.

Nathan não abriu mão de ir. Houve resistência por parte do Lucas e do Matt e levou algum tempo para chegamos a um consenso, mas eles não conseguiram derrotar a obstinação do Nathan. E, claro, como ele não quer que eu fique sozinha com os outros Resistentes, fez com que eles aceitassem que eu também participasse. O que não foi muito difícil depois que Nathan e eu argumentamos sobre porque eu deveria ir.

Lucas vai estar na linha de frente, então é preciso ter alguém com conhecimentos médicos que possa ajudar caso seja necessário. Mere não é opção. Ela e o Lucas são os únicos médicos que temos, não podemos arriscar os dois ao mesmo tempo. Além disso, depois da crise de pânico de ontem, ela foi a primeira a dizer que não se sentia confortável e que tinha medo de atrapalhar mais do que ajudar. Por isso, Mere fica na base e eu vou. Não sou médica, mas posso ajudar se for preciso.

Decidimos que eu ficaria com o Nathan em algum lugar mais afastado, mesmo que ele tenha alegado que o ferimento já não dói, o que sabemos que não é totalmente verdade. Então, nós dois vamos ficar apenas como reforço.

Matt, Lucas, Armon e Vítor, o ex-soldado, vão abordar o carro.

São quase dezoito horas.

O sol já se pôs há muito tempo e por mais que possa haver uma lua cheia e brilhante, a luz dela não ultrapassa o teto de nuvens.

Olho para a estrada que já deve estar quase preparada para o ataque e sinto um aperto no peito.

Se o Gabe estiver do nosso lado e tudo correr bem, em breve teremos o antídoto para salvar Lucas e Armon. Caso contrário, não quero nem imaginar o que pode acontecer.

Mas de uma forma ou de outra, temos que lutar hoje.

Olho impaciente para o relógio tentando me sentir confortável com o silêncio de Nathan. Ele está em pé, olhando para a estrada, esperando o sinal de luz do Matt informando que está tudo preparado.

A postura dele está rígida, sua expressão é séria, por mais que estejamos longe o suficiente ao ponto de não conseguirmos ver claramente os outros ele está pronto para combate.

Vemos Matt dar o sinal que esperávamos e então o Nathan vem na minha direção.

Ajeito a minha postura no assento do carro. Quando chega ele abre mais a porta e coloca o braço no teto, inclinando-se um pouco na minha direção.

— Eu preciso que você me prometa uma coisa, Em — diz chegando perto de mim o suficiente para fazer o meu coração acelerar. Ele sabe o poder que tem sobre mim e o usa sem hesitar.

— O quê? — pergunto.

Ele se abaixa um pouco mais até eu sentir a respiração dele em mim, o que faz um arrepio percorrer todo o meu corpo.

A Resistência | Contra o Tempo (Livro 2)Leia esta história GRATUITAMENTE!