Capítulo 81

1.4K 231 380

I try to understand
How we're here again
In the middle of the storm

Eu tento entender
Como estamos aqui novamente
No meio da tempestade

— Você realmente acha que está em condições de ir conosco? — pergunto ao Lucas.

Ele está totalmente curado e recuperado, mas mesmo assim é impossível não me preocupar. A imagem dele abatido e sofrendo nos últimos dias não sai da minha cabeça.

— Eu estou ótimo, Em — diz com um sorriso lindo, que me faz sorrir de volta. — Além disso, eu nunca deixaria você ir sozinha.

— É isso que me preocupa — comento com um tom de voz reprovador. Ele tenta sempre parecer forte, e fez isso mesmo quando estava passando por aquela tortura nos últimos dias. Eu sei o que ele sentiu. Eu me aproximo um pouco mais dele e seguro o olhar dele no meu. — Você realmente não está mais sentindo nada? — Coloco o dorso da minha mão na testa dele, que sorri e segura o meu pulso como já tinha feito outra vez e, a seguir, solta-o devagar.

— Não, Em. Você se preocupa demais.

Há alguns meses, parecia tão impossível me imaginar curada.

Há alguns dias, parecia impossível imaginá-lo curado.

Toco no anel que o meu pai me deu, o anel que me levou direto para a Resistência na Matriz, que me juntou ao Nathan e que sempre foi a minha fonte de esperança quando tudo parecia não ter solução. Aquelas palavras nunca pareceram tão verdadeiras.

Tudo é Possível!

E hoje vamos conseguir resgatar os meus amigos, não tenho dúvida de que estão lá.

Não duvido também que o Nathan está voltando para mim.

Respiro fundo e saio do meu devaneio. Fecho o casaco do Lucas e reparo na borboleta azul bordada no bolso.

Coisas lindas surgem do caos! A voz do Nathan dizendo isso ecoa na minha cabeça.

Ele tinha razão.

— Todo mundo preparado? — Matt pergunta e respondemos que sim.

Nos últimos dois dias, ele, Vitor e Kyle, passaram mais tempo com a Resistência do que aqui no hospital conosco. Tudo tem sido elaborado nos mínimos detalhes, nada pode dar errado.

Mere esteve uma mistura de nervosismo e ansiedade e ela não parou de encontrar obstáculos nem um segundo. Na verdade, até a motivamos a fazer isso, porque nos fazia olhar para falhas, e encontramos alternativas para alguns possíveis problemas.

— Chegou a hora — Vitor diz abrindo a porta.

Estamos no andar debaixo do prédio e os carros da Resistência acabaram de chegar. Saímos uns atrás dos outros na escuridão cortada apenas pelas luzes fracas dos faróis.

Dividimo-nos em dois carros, mas haverá mais alguns no local, já que provavelmente vamos precisar para trazer os meus amigos. Além disso, também seguiremos caminhos diferentes para não chamar a atenção.

Com uma lanterna acesa, Matt repassa conosco os pontos mais importantes do plano e ele e o Lucas verificam as armas e as munições. O som do tambor do revólver rodando já não me assusta mais, muito menos o ruído que a arma faz quando é engatilhada. Aproveito o resto do caminho para verificar mais uma vez o que está na mochila deles.

Kyle fez novos mapas para que cada um de nós pudesse voltar para o hospital ou procurar o abrigo mais próximo se algo acontecer e nos separarmos. Mas, mesmo assim, Matt nos fez decorar os caminhos de volta, por precaução.

A Resistência | Contra o Tempo (Livro 2)Where stories live. Discover now