Capítulo 51 (Dia 10)

1.3K 241 299

Fronteira | 15 ºC
Contagem regressiva: 9 dias

— O que aconteceu? — pergunto assustada quando os três andam em direção ao banheiro. Olho para eles e vejo a mão do Vitor enrolada em um cachecol. O alívio de vê-los chegando rapidamente se transforma em preocupação.

— Só um corte. — Pego a mão dele e desenrolo com cuidado o cachecol enquanto Lucas tira o casaco e começa a lavar a mão e Nathan vai pegar a caixa de primeiros socorros.

Vejo vários cortes de tamanhos diferentes, uns parecem mais profundos que outros.

— Como isso aconteceu? — pergunto confusa, sem entender o que poderia ter feito aquilo na mão dele.

— Vidros na parte de cima de um muro — responde com expressão irritada. — O pior é que foi tudo em vão, a cadeia estava desativada por completo.

Tento esconder o meu desapontamento, mas sinto meu coração se contrair. Um dia se passou na Fronteira e não conseguimos nada. Nem o antídoto, nem descobrir o paradeiro dos meus amigos.

— Sinto muito — Nathan diz entregando-me a caixa. Olho para o rosto rosado dele por causa do frio. Talvez pela umidade do lado de fora, o cabelo dele não está tão bagunçado como de costume.

Lucas desliga a água da torneira depois de lavar bastante as mãos e os braços, e assume os procedimentos na mão do Vitor. Ele limpa com soro o ferimento e examina cada corte procurando pedaços de vidro que podem ter ficados cravados na mão dele. A expressão no rosto do Vitor não muda.

— Não tem nenhum corte muito profundo — tranquiliza-nos. Neste momento, o Vitor ficar impossibilitado de usar uma arma não seria nada bom.

— Descobriram alguma coisa? — Kyle pergunta aparecendo na porta do banheiro com os olhos estreitos de sono e o cabelo todo desgrenhado. — Você está bem? — A expressão dele fica preocupada quando vê o que o Lucas está fazendo.

— Desculpa, Kyle — Vitor diz. — Não encontramos nada.

O rosto cheio de esperança dele se transforma em tristeza. Ele insistiu para ir, mas Matt e Nathan acharam que seria melhor não envolvê-lo nas buscas. Eles têm receio que Kyle faça algo perigoso, já sabemos que ele é capaz de fazer tudo pela irmã.

— Mas você está bem? — insiste. Gosto de ver que realmente se preocupa com Vitor.

— Só uns cortes e o susto que levei agora — Vitor sorri.

Kyle faz cara de confuso, mas quando me vê sorrir também deve imaginar o porquê e se olha no espelho.

— Minha beleza matinal incomoda vocês? — provoca passando as mãos no cabelo que rapidamente se organizam, mas ele não está sorridente como de costume.

Imagino que esteja tão devastado quanto eu.

Mia sempre pareceu forte e não sei até que ponto ela estará envolvida nos planos do Gabe. Tudo indica que, assim como o Kyle, ela foi usada por ele. Pelo menos eu espero que seja assim.

Mandy, Jess e Daniel devem estar completamente assustados. Espero que James esteja de alguma forma tranquilizando-os. Apesar de termos estado poucas vezes juntos, ele sempre conseguiu fazer isso comigo.

Assim que Lucas termina de dar os pontos necessários, Matt e Armon aparecem.

Nathan resume tudo o que aconteceu e eles ficam esperando pelo sinal da Lea como tínhamos combinado enquanto vou até o quarto da Mere.

Eu a ajudo a vestir a roupa nas meninas e, pelo silêncio incomum dela, percebo que ela está pior do que eu imaginava. Geralmente, ela fala muito quando ficar nervosa, por isso, vê-la calada dever ser um sinal de que a tristeza e o nervosismo foram para um outro nível.

A Resistência | Contra o Tempo (Livro 2)Leia esta história GRATUITAMENTE!