Capítulo 80

1.3K 226 363

I'm still a, I'm still alive
Bet you didn't think that I'd come back to life
Stronger

Eu ainda estou, eu ainda estou vivo
Aposto que você não pensou que eu voltaria a vida
Mais forte


Depois de mais um dia ligado à máquina, Lucas parece um pouco melhor.

Todos os sintomas continuam, mas menos intensos. O rosto dele está um pouco mais corado e ele parece mais bem disposto.

Se eu pudesse escolher, preferia ter sido eu a passar por tudo aquilo de novo. Teria doído menos em mim do que vê-lo sofrendo com a cura e com a perda do amigo e toda esta situação. Mas, ao contrário de mim, ele nunca reclamou e se esforçou até o limite para estar presente e tentar encontrar soluções junto conosco.

Agora, tudo o que ele quer é trazer o Nathan de volta. Eu não consigo esconder a dor e a saudade que sinto dele, e isso deve doer no Lucas.

Penduro no suporte mais uma garrafa de soro e me viro quando ouço passos atrás de mim. Observo-o sair do banheiro com o cabelo molhado e caminhar na minha direção. Ele está tão mais magro e a roupa preta talvez o faça parecer ainda um pouco mais.

— Você está quase livre — digo sentindo uma lágrima descer no meu rosto. Mas ao contrário de todas as outras, esta é de alegria. Nem ao menos tento impedi-las e ele apenas sorri de volta para mim. Coloco a mão no peito dele e ele coloca a mão dele por cima. Sentir o coração batendo, faz uma onda de alívio passar por mim.

Não há quase mais nada ameaçando o coração dele, ameaçando a vida dele.

O barulho da porta se abrindo desvia a minha atenção.

— Eles chegaram — Vitor diz. Agradeço e ele fecha a porta nos deixando sozinhos de novo.

— Você quer que eles venham para cá? — pergunto. — Eu posso chamá-los.

— Não é necessário, Em. Preciso sair um pouco deste lugar — responde e não posso discordar dele. Por mais que ele precise continuar em repouso, andar um pouquinho e deixar de olhar para esse ambiente triste de enfermaria pode fazer bem.

Caminhamos devagar pelo corredor até a cozinha.

Mere parece querer protestar quando o vê entrando, mas ela também sabe que ele precisava disso. Além disso, já é tarde, não devemos demorar muito.

— Você parece tão melhor — Matt comenta com entusiasmo apertando o ombro do Lucas. A alegria está estampada no rosto dele. Depois de tudo o que passamos e com o Nathan ainda afastado, esta conquista serviu para nos animar e ter certeza de que ganharemos esta guerra.

Suspiro quando o sorriso do Nathan me vem à cabeça. Se ele soubesse o que está acontecendo estaria tão feliz. Dói imaginar que ele ainda não sabe de nada e deve estar se torturando com todas as hipóteses possíveis.

Eu só quero que ele esteja bem e que volte. Não vou aguentar mais muito tempo sem ir atrás dele.

— Já me sinto bem — Lucas responde olhando para a Mere que tem uma expressão preocupada no rosto.

Meus olhos se desviam para o Kyle que me dá um sorriso safado e começa a rir sozinho. Também rio junto com o Vitor, lembrando do quanto ele foi inconveniente, mesmo me esforçando para me manter séria enquanto os outros três nos observam sem entender o que está acontecendo com a gente.

— Nós conseguimos observar o local por algum tempo e até nos aproximamos e o rodeamos. Não há vigilância, pelo menos não externa, mas vimos um carro entrando as vinte e duas e horas. Meia hora depois ele saiu. — Presto atenção às palavras do Matt.

A Resistência | Contra o Tempo (Livro 2)Leia esta história GRATUITAMENTE!