Capítulo 85

1.5K 242 484

Notas rápidas: este é o último capítulo, mas ainda haverá um epílogo. E, sim, teremos mais um livro dA Resistência! Em breve, vou revelar a capa e criar o livro pra vocês adicionarem à biblioteca. Muito obrigada por tudo!

Caught in the crosshairs of the things we've doneThere's no hiding place, no secretWhat is lost will be foundWhen the truth hunts you down

Ops! Esta imagem não segue as nossas directrizes de conteúdo. Para continuares a publicar, por favor, remova-a ou carrega uma imagem diferente.

Caught in the crosshairs of the things we've done
There's no hiding place, no secret
What is lost will be found
When the truth hunts you down

Preso na mira das coisas que fizemos
Não há esconderijo, não há segredo
O que é perdido será encontrado
Quando a verdade te persegue

Tudo é rápido demais.

Em um momento eu estava na enfermaria tentando me acalmar depois de saber sobre o novo anúncio do Gabe. No outro, eu estava correndo pelo corredor e insultando o elevador que demorou demais para me trazer para o andar de baixo.

— Ele está bem? — pergunto para o Kyle quando nos encontramos no portão de entrada. Ele confirma com a cabaça e eu apenas continuo andando.

Mesmo que o vento esteja congelante e o meu cabelo ainda esteja úmido, não me preocupo em fechar o casaco. Apenas corro o mais rápido que consigo na direção do Lucas e o abraço.

— Meu deus, Lucas, eu fiquei com tanto medo — sussurro com a voz tremendo.

Sinto ele me abraçar de volta e suspiro aliviada com meus olhos se enchendo de lágrimas. Nem eu mesma tenho noção do tamanho do meu amor por ele.

— Você está bem? — pergunta em um murmuro baixo. A respiração quente dele na minha pele me faz fechar os olhos e me sentir feliz por ele ter voltado. — O Matt disse que você machucou o braço.

— Não foi nada — respondo e me afasto do abraço enquanto ele me olha com desconfiança. — Foi apenas um arranhão — asseguro.

— Você nunca vai me escutar, pois não? — pergunta, mas não noto reprovação na voz dele.

Ele sabe qual a resposta para isso, porque ele e eu somos iguais.

— Não há nenhuma chance de eu não fazer nada se alguém precisar da minha ajuda — digo, preparando-o para o que vem por aí. — Eu não me perdoaria, Lucas.

— Eu sei, Em. Seja corajosa e seja gentil. Não era isso que a sua mãe costumava dizer? — pergunta e balanço a cabeça sentindo uma lágrima escorrer solitária no meu rosto.

Observo dois carros se distanciando e não vejo nem o Matt nem o Vitor por perto. O Philip também não está aqui, apenas a garota está nos observando um pouco afastada. Assim que nossos olhos se encontram, ela caminha devagar na minha direção.

— Oi, Emily — diz quando para na minha frente. Não estranho mais que um desconhecido me chame pelo nome. Apenas observo o casaco do Lucas que ela está usando, parecendo um pouco grande para ela que tem a mesma altura que eu.

A Resistência | Contra o Tempo (Livro 2)Leia esta história GRATUITAMENTE!