Capítulo 56 (Dia 14)

1.4K 226 395

I wanna feel your love
Just give me all your trust
Common ain't us
'Cause common ain't enough

Eu quero sentir o seu amor
Apenas me dê toda a sua confiança
Não somos comuns
Porque comum não é o suficiente

Fronteira | 15 ºC
Contagem regressiva: 5 dias

Borboletas!

Elas estão em todos os lados. Fachadas, muros, túneis, pontes.

Pelo menos foi o que eles me disseram.

Depois daquela noite, o som das sirenes é constante, o que não nos deixa esquecer nem por um momento o caos em que estamos.

Mas nem tudo é ruim. Quase toda a Fronteira está nos apoiando.

Eles acreditaram no Nathan, mas não atenderam ao pedido dele de não fazer nada. Duas pessoas já foram pegas desenhando o nosso símbolo e foram abatidas de forma covarde. É isso que os vídeos mostram.

Gabe também deu ordem para a Guarda encobrir qualquer forma de apoio à Resistência, mas as borboletas continuam surgindo, não importa quantas eles apaguem.

Ele sabe o poder que o povo tem. A população dos Setores e Fronteira precisavam apenas de um líder. Agora eles têm três.

Mas ao contrário do que imaginamos, Gabe não fez nenhum anúncio.

Há vários avisos sendo transmitidos ininterruptamente lembrando a população das consequências de apoiar a Resistência e afirmando que aquilo que o Nathan prometeu não existe, que a cura para todos é impossível.

Os avisos também pedem para o Nathan e os Resistentes se entregarem.

Mas nós não vamos desistir. Se morrermos, será lutando.

Claro que fica cada vez mais assustador. Temos a população ao nosso lado, mas temos falhado nos objetivos principais.

Três dias se passaram desde a nossa última fuga.

Trancados aqui, nesse abrigo totalmente subterrâneo, cada hora leva uma eternidade para passar. É ruim quando todos estão aqui, mas, quando eles saem, chega a faltar o ar.

Não tenho dúvida que foram os três dias mais longos da minha vida.

Seguimos uma rotina. Tem momentos em que agradeço por nada ter saído do controle, mas, em outros, bate um desespero ao vê-los voltarem sem nada, sem nem uma pista sequer.

Eles têm saído em dupla.

Durante o dia, com ajuda da Resistência para procurar o antídoto, mas há dois lugares que ainda não encontraram. Durante a noite para procurar os meus amigos.

Lucas e Nathan nunca mais saíram juntos. Eu sei que é para evitar que eu queria ir com eles e é também para um deles estar comigo se algo acontecer.

Aquele dia acabou com nós três.

Quando Nathan agradeceu o Lucas por ter salvado a vida dele na prisão, Lucas pediu para não voltarmos a tocar no assunto. Ele me disse que não se arrependeu, que faria de novo. Claro que faria, claro que salvaria o Nathan. Mas isso não quer dizer que ele não sente a culpa de quase ter tirado a vida de alguém.

— Cinco dias — digo quando Nathan se aproxima de mim. — É tudo o que temos.

Ele está com uma camiseta e calça moletom pretas, exatamente igual a mim. A única diferença é que estou enrolada em uma manta, já que o ambiente aqui, além de escuro, é frio e úmido. Mas não podemos reclamar. Nesta base, encontramos muitos mais recursos, mais roupas e outros tipos de enlatados, além de ser mais espaçosa e cada um ter o seu próprio quarto.

A Resistência | Contra o Tempo (Livro 2)Leia esta história GRATUITAMENTE!