Cap 14

26.5K 1.6K 104
                                    

M E L

Mel- Tu é procurado né? Não é perigoso não tu vir pro asfalto?- Ele me olha com rabo de olho.

Italiano- Não sou eu que faço os bagulho. Nunca botei as caras então não sabem como eu sou. Tá tudo de boas, esquenta não.- Eu olho para trás e o Luca ainda está dormindo.-
Passamos em um quebra mola e ele acorda assustado.
Minha gente que menino lindo. Do olho azul todo fofinho.

Quando ele me vê fica automaticamente vermelho.

Luca- Porra eu morri e tô no céu.- Ele vira o rosto e vê o Italiano.- É eu acho que não.- Ele fala rindo e o italiano o olha com cara de bravo.- Tio essa é a tua mina?- Italiano assente e ele me olha.- Boa sorte viu tia.

Mel- Eai Luca eu sou a Mel.- Tô tão meiga hoje.

Luca- Eu sei tia. O tio parece até disco quebrado só fala da senhora.- Me viro lentamente o encarando no fundo da alma.- Calma ae, oque aconteceu. Pô italiano se resolve ae com a tua mulher, ela me olhando assim me da medo.

Italiano- Segura os teus bo's irmão.- Ele fala rindo.

Mel- Senhora? Essa foi pra acabar.

Luca- Mas você é mais venha que eu uai.- Ele fala realmente confuso. ELE É MUITO FOFINHOOOO.

Mel- Você é tão fofinhooo. Vem cá pra eu apertar as tuas bochechas.- Ele fica vermelho.

Luca- Que isso tia...- Ele fala ainda corado.

Italiano- Chegamos.- Ele tira o meu cinto e vai pro outro lado do carro abrir a porta.

Luca- Gado do caralho.

Mel- Olha a boca.- Falo em advertência.

Luca- Desculpa tia.- Ele fala vindo pro meu lado.- Véi eu nunca vim no Shopping.

Mel- Sério?- Falo realmente chocada e ele acinte.- Eu só vim uma vez eu acho.

Italiano pega na minha mão andando calmamente com o Luca ainda impressionado.

Entramos no Shopping e o Italiano vai em direção a uma loja de chuteiras. Eu nem sabia que tinha uma loja só de chuteira.

Italiano- Escolhe aí pivete.- Luca o olha confuso.

Luca- Tendi não homi.

Italiano- Tô falando que é pra tu comprar as tuas chuteiras.- Eu olho pro Luca que está com os olhos cheios de lágrimas. Ele vai em direção ao o italiano e o abraça apertado, murmurando vários "obrigado".
-Precisa chorar não véi. É só um presente.- Ele murmura com as bochechas vermelhas, e olha que ele é preto.- Beleza, isso vai ser divertido.

[...]

Eles compraram no mínimo umas cinco chuteiras. Eu nunca vi um menino ficar tão feliz igual hoje. Ele também ganhou um celular e várias roupas, que obviamente eu escolhi. Ele tá quase pulando de tanta alegria.
Agora estamos na praça de alimentação comendo hambúrguer e mais um monte de besteira.

Italiano- Eu vou te matricular em uma escola.

Luca- Mas eu já tô na escola.

Italiano- Em uma melhor, talvez particular, você gosta desse negócio de matemática e a escola lá do morro não é tão boa. Aí eu acho melhor te colocar em uma escola com mais qualidade.

Luca- Você já tá gastando muito comigo, não precisa.- Italiano o olha rindo.

Italiano- O dinheiro é de quem mesmo? Eu não perguntei eu tô avisando.- O olho em desaprovação.

Mel- Fala direito caralho. Ele só quer que você tenha um ensino melhor entendeu, pra ter mais oportunidades mais na frente.

Italiano- Tá vendo irmão, ela é toda estudada.

Luca- O mel a tua blusa tá molhada.- Ele fala me encarando fixamente.

Mel- Puta merda.- Me levanto rapidamente para ir em direção ao banheiro.- Eu vou no banheiro já volto.

Italiano- Pera aí Mel, eu vou junto.

Mel- Fica ai, eu já disse que eu já volto.- Falo já incomodada com o molhado da minha blusa.

Chego no banheiro esbarrando numa adolescente que quase me mata.

??- Moça, o seu seio está vazando.- Me viro e vejo uma senhora me olhando.

Mel- Obrigada por avisar.- Falo com um sorriso leve.
Entro na cabine e troco os meus absorventes, saio da cabine e vejo uma menina, no máximo com uns 14 anos, com uma bebê toda desengonçada tadinha. Ela estava quase chorando. Será que ela quer ajuda?

Mel- Com licença moça.- Ela me olha e minha gente. Que garota linda, parece uma boneca.- Você que ajuda com a nenê? Eu seguro ela enquanto você vai no banheiro, não se preocupe.

??- Não precisa se incomodar moça.- Ela fala baixinho.

Mel- Não é incômodo eu seguro ela.- Ela me olha com um olhar tão cansado.

??- Eu juro ser rápida, muito obrigada.- Ela fala indo rápida.
Aí véi que bebê fofinha.
Rapidinho ela volta e me agradece, quando estamos quase saindo escuto vozes.

??- Essas jovens de hoje em dia, engravidam cedo e ainda se acham certas, deixam a criança com qualquer pessoa. essa agora por exemplo que entrou nessa cabine. Nem se cuidar sabe, a blusa toda suja. Ridículo.

??2- Concordo plenamente. Elas deviam é ter vergonha.- Mas agora deu o carai mesmo.

Quando olho pra menina ela está quase chorando e baixa a cabeça arrumando o cabelo na bebê.

Mel- Com licença. Me desculpe mas oque a senhora falou foi super indelicado. Além de muito sem noção. Quem é a senhora para falar dela se na sua época as meninas com 15 anos já tinham uns 5 filhos? Totalmente ridículo. Por favor favor tenha um ouço de senso ou empatia.

??- Mas diferente de mim ela- - A corto na hora.

Mel- Diferente da senhora ela cuida da vida dela e não fica julgando os outros por aí. Passar bem.- Falo me afastando e puxando a menina.

??- Obrigada moça. Você foi a primeira que me defendeu.

Mel- Velha sem noção.

??- Ela só falou oque todos pensam.- Porra véi, pensa oque essa menina já escutou.

Mel- Qual o teu nome? Eu sou a Mel.- Pergunto tentando aliviar o clima.

??- Helena. Prazer Mel.- Ela fala com um sorrisinho.

Meu Morro Minha Vida Onde histórias criam vida. Descubra agora