Cap 1

58.8K 2.7K 356
                                    

🅡 M E L

Observo todos irem abraçar seus parentes, recebendo elogios e indo comemorar em algum restaurante chique. Hoje é oficialmente o dia da minha formatura, e aqui estou eu, no meio de toda essa multidão, sozinha.
Olho ao meu redor e não vejo ninguém, sinceramente não sei nem quem eu estava esperando.

Me viro indo em direção a saída, com uma imensa vontade de chorar.
Meus pais eram alcoólatras e usuários, eles tinham uma dívida enorme e acabaram sendo mortos.
Eles foram os piores pais que eu poderia pedir, nunca me deram nada e tudo o que nós conseguíamos eles vendiam para comprar droga.

Acabei tendo que mudar apenas com quinze anos para a Rocinha e moro lá até hoje.

Vou em direção ao vestiário e tiro a minha bata, troco de roupa rápido, tenho que ir para o ponto se não vou perder o ônibus.
Eu tô com muitas dores nas costas, por conta do leite que eu produzo. É uma peste.

Vou para o ponto e espero o ônibus chegar, quando essa desgraça finalmente chega, consigo descer no meu querido morro, tive que ir pro outro ponto e andar em direção a barreira, digo um boa noite quase inaudível e começo a subir o morro. Morro de medo dos vapores:

Enquanto subo essa ladeira do cão, vejo várias meninas, todas bem arrumadas, provavelmente indo para o baile já que hoje é sábado.

Elas me olham e começam a cochichar e rir, me sinto mal pra caramba com essas coisas, mas já acostumei, mesmo morando a quase três anos aqui eu não tenho amigas, na verdade eu não tenho tempo nem pra mim, quem dirá para amizades.

Também não tenho namorado, eu trabalho em dois empregos e quando eu estudava aí que eu não tinha tempo pra nada.

Eu consegui terminar os estudos um ano mais cedo, sou muito focada e no meu tempo livre eu só estudo, então acabou que eu fiz uma prova e pulei um ano. Mas aí eu não estudei porque não consegui conciliar tudo, então deu tudo na mesma merda.

Finalmente chego em casa, e olho ao redor, ela é simples mas é arrumadinha, odeio casa porca, vou em direção ao banheiro e tomo um banho, pego a minha bombinha e vou tirar o leite, sempre que eu tiro dói então eu demoro um pouco, e o meu leite ao invés de empedrar ele simplesmente aumenta de quantidade, depois que acabo eu visto um pijama para ir assistir alguma coisa.

Geralmente nos finais de semana eu vou em um abrigo infantil que fica no centro para amamentar os bebês, não tem muitos mas oque tem precisam, e é bem melhor doque jogar fora.

Ponho algo na Tv e rapidamente pego no sono.
Hoje foi um dia bem cansativo.

...........................................................

OIIII GENTEEEEE

Essa é a minha primeira história é eu tô super animadaaa.

Falem oq vcs tão achando e bjosss.💗

Meu Morro Minha Vida Onde histórias criam vida. Descubra agora