2.

1.6K 96 9

Um nervosismo encontrava-se presente na sala inteira; todos anseiam pela minha resposta - até eu mesma, se é que isso é possível. Penso e repenso na minha resposta interiormente; aliás, trata-se de casamento, um compromisso sério!

Encaro aquelas belas e doces esmeraldas posicionadas á minha frente e esboço um doce sorriso. O que é que eu tenho a perder?

"Sim," profiro e, o meu sorriso curva-se mais um pouco. "Eu aceito casar contigo."

Assim que o Harry colocou o anel no meu dedo, os nossos lábios juntaram-se e formaram um calmo e apaixonado beijo. Separo lentamente, os mesmos, segundos depois e, acaricio o seu rosto. Olho em redor e reparo que os familiares presentes aplaudiam e felicitavam-nos. Sinceramente, nunca pensei casar tão cedo, só seria por volta dos 25; mas também, não tinha planos de ter filhos e tenho uma menina doce e querida.

Isto é amar.

Encaro o anel - é tão lindo. Não acredito, ainda não estou em mim.

"Parabéns, Luanna! Oh deuses, eu estou tão feliz por ti." caio na realidade e, agradeço a Christine que me abraçava bem fortemente. "É bom que eu seja a madrinha do casamento, entendido?"

Dou de ombros e deixo uma breve gargalhada escapar. Caminho até á minha mãe que me fazia gestos para supostamente ir ter com ela.

"Quem diria, querida," a minha mãe começa, agarrando de leve a minha mão para poder encarar o anel de noivado. "Eu estou orgulhosa de ti. Afinal caíste nos amores do Harry e não de outro qualquer. Estás apaixonada, Luanna Perez."

Encaro seriamente a minha mãe, pensando no que ela acabara de dizer - ela tem razão, na verdade. Eu estou apaixonada, como nunca estive antes, e... o amor é uma doença sem cura; eu acho.

[...]

"Adeus, Gemma." despeço-me da última pessoa que faltava ir para casa e, finalmente, fecho a porta.

Subo a escadaria de madeira lisa, em direção ao meu quarto onde Harry me tinha avisado que estava. Entro no mesmo e encontro o meu rapaz curvado, com algo nas mãos.

"Harry?" chamo e ele curva-se para me dar a devida atenção.

Reparo num sorriso miudinho presente nos seus lábios enquanto os seus cabelos caíam para a frente da sua vista, pois ele estava a ver uma fotografia que tinha emoldurada e pousada em cima da mesa de cabeceira. Aproximo-me um pouco e, sento-me na ponta da cama; o braço que segurava a moldura, inclina-se para mim, para eu poder ver a fotografia. Pego na mesma e um sorriso aparece nos meus lábios - eu, Harry e Felicity pelo que me parece, no parque, extremamente felizes... como uma família. Os meus dedos percorrem os cantos da moldura, enquanto me lembrava daquele maravilhoso dia.

Pouso a fotografia no lugar onde antes do Hazza pegar, estava e levanto-me para poder depositar um beijo nos lábios dele.

"Foi a melhor prenda que alguém me deu..." murmuro, contra o seu peito coberto por uma camisola de lã, que com a mão direita, eu agarrava.

Ergo um pouco o meu rosto para poder encarar o brilho nos olhos do meu namorado. Ou melhor, noivo.

"Era essa a intenção."

"Obrigada, Harry," murmuro e agarro a mão que se encontrava gelada, dele. "Não só por... isto; mas também por seres sempre alguém tão querido, que me dá tantas razões para amar. Ugh, estou a ser lamechas por tua culpa."

"Eu gosto que sejas lamechas, gosto que me mimes com essas dóceis palavras." assinto e beijo os seus lábios que tremiam um pouco.

"Feliz Natal, Harry."

"Feliz Natal, Luanna."

[...]

"Mamã, papá, o pai Natal veio!" os meus olhos preguiçosamente, abrem-se, quando ouço a porta do quarto ser aberta com força e Felicity gritar. "Olha mamã, esta aqui é grande! São todas para mim?"

O meu corpo senta-se na cama, quando a minha filha se coloca na mesma e, senta-se á minha frente pronta para abrir as quatro prendas que tinha. Obviamente, a grande que ela se referia, é a minha e a do pai: mas ele insistiu em comprar mais alguma coisa. Assinto, em resposta á pergunta da minha doce Felicity.

"Bom dia, pipoca," finalmente, Harry dá sinais de vida, também sonolento e num ápice beija a testa da filha. "O que é que tens aí?"

"Foi o pai natal, papá!"

Gargalho baixo, quando a menina começa a desembrulhar a prenda que lhe tinha sido comprada. Os seus olhos ganharam brilho, até, quando viu a fantástica casa de bonecas que agora tem. Sabia que ela ia gostar.

"Posso ir brincar, mamã, posso, posso?"

"Não queres ver os outros presentes?" profiro numa curta gargalhada e ela simplesmente nega com um beicinho irresistível nos lábios. "Vai para o teu quarto, então, já vou ter contigo pra depois ires tomar banho."

Ela grita uma espécie de 'yey' e desaparece numa correria do quarto. Beijo a bochecha de Harry que lentamente, cerrava os olhos.

Pego no telemóvel, pousado na mesa de cabeceira, e reparo que tinha imensas mensagens a desejar um ótimo Natal, porém apenas uma me interessou realmente: sabem bem de quem foi.

Feliz Natal, Luanna. Obrigado pela mensagem, ainda bem que sabes ser humilde. Podes vir até ao meu apartamento, festejamos o dia juntos? Claro, traz a Felicity e o Harry. Niall, x.

Bom dia, Niall. Só dá mesmo á noite porque vou almoçar a casa da minha mãe que vai festejar com alguns amigos o Natal; não a quero deixar sozinha num dia tão especial. Luanna, x.

Sinceramente, só me lembrei agora do almoço em casa da minha mãe: é bom que me despache!

"Harry, levanta esse cú gordo!" resmungo, numa tentativa de o levantar da cama.

"Porquê? O que fiz de mal? Está tão quente aqui, Luanna."

"Quero lá saber se está quente debaixo dos cobertores, Harry, vamos almoçar a casa da minha mãe."

"Eu sei do que tens falta, Luanna," ahm? "Anda para debaixo dos cobertores."

Enfim.

"Harry, não."

"Pronto, está bem, mãe."

"És tão infantil." reviro os olhos e gargalho, quando um braço do meu namorado envolve a minha cintura e empurra-me contra a sua camisola de dormir quente, por baixo dos cobertores.

Os meus lábios vão ao encontro dos seus e, ao colidirem, formam um beijo demorado. As mãos do Harry sobem pela minha espinha, calmamente, deixando-me extremamente arrepiada.

"Não, Harry." murmuro, contra os seus lábios carnudos que me impedem de continuar a reclamar com um beijo.

Sinto, aos poucos, a minha camisola ser retirada pelo rapaz deitado por baixo de mim, e as suas mãos percorrem todo o meu tronco. Fecho calmamente os olhos, quando ele começa a depositar alguns beijos molhados perto do meu umbigo e...

"Mamã, papá?" oops!

\\\//

oh minha gosha (?), a Teen Mom está sempre a crescer! :D estou tão orgulhosa e agradecida: e só a vocês! ❤

1. só tem poucos comentários em relação ao nr de votos /: vão todas comentar qualquer coisa inocente no(s) capítulo(s) que mais gostaram e/ou no primeiro u-u eu vou responder a todas nos próximos dois dias! ❤

2. a Teen(ager) também vai ter muitos comentários, né? né. u_u então vou fazer uma pergunta talvez em todos os capítulos e.e

Pergunta: Qual é o membro dos 1D que vocês têm um carinho especial maior? (':

Me: Harryyyy ❤❤

Teen(ager) - h.s {sequela TM}Leia esta história GRATUITAMENTE!