14.

1K 61 8

O toque de saída da primeira aula é ecoado, o que até me aliviou. Não conseguia ouvir falar mais sobre o programa do segundo ano da universidade.

Entro na casa de banho feminina do primeiro pavilhão e para minha surpresa, dou de caras com a Harriet. Já não a vejo há uns quantos meses, porém, ela está igual desde a última vez que a vi, a única diferença que consigo apontar é mesmo o cabelo ligeiramente mais longo e a cor castanha clara que antigamente era a natural dos seus cabelos.

"Luanna, por aqui?" Ela proferiu num tom meio intimidador mas que não me aborreceu sequer.

"Parece que sim." Ambas permanecemos em silêncio — esperava pelo momento em que ela se ia embora e eu podia entrar numa casa de banho particular. "Sabes, meter a conversa em dia numa casa de banho não é propriamente a melhor coisa então, que tal mais logo irmos tomar um café?"

"Hm, não sei se é a melhor altura. Amanhã talvez."

Aceitei a proposta de horário dela e evaporei da sua frente.

[...]

Torno a ler a mensagem da Martha no meu telemóvel antes de sair da universidade. Pelos vistos quer encontrar-se comigo na casa dela em trinta minutos (que é o tempo que eu demoro a chegar lá, visto que nunca lá fui e o meu GPS a.k.a telemóvel não é assim tão rápido a processar a informação a-dez-minutos-do-café-que-um-dia-fomos).

"Luanna!" Alguém grita o meu nome.

Guardo o telemóvel e olho em frente reparando em Christine dentro do seu automóvel estacionado em frente à universidade.

Um sorriso aparece nos meus lábios. Aproximo-me do carro dela e ela abre o vidro do seu lugar.

"Vais entrar ou não?" Perguntou, animada.

"Eu tenho que ir a casa da Martha, Christine..." Lamentei.

"Eu levo-te."

"Nem eu sei onde é, Chris!"

"Entra mas é!"

Não insisti mais. Entrei no lugar ao lado do condutor e ela arrancou após eu lhe mostrar a mensagem que tinha recebido, pelos vistos ela conhecia o café (indiquei-lhe o nome).

"Estive com o Harry e simplesmente despachou-me, disse que tinha que ir ao estúdio. Na verdade estava mesmo apressado!" Christine informou-me, sem tirar os olhos da estrada — ela é muito cautelosa a conduzir.

"Que estranho..."

Não sabia mais que dizer porque 1. ou ele estava mesmo com pressa ou 2. ele queria que ela fosse embora o mais rápido possível devido a 3. não querer estar com ela. E eu estou mais virada para a segunda opção.

"A Felicity?" Perguntou-me. "Como está?"

"Muito bem. No fim-de-semana queria ver se passávamos o dia juntas porque tenho saudades desses momentos. Enquanto o Harry esteve em tour fizemos muitos momentos (viagens, brincadeiras...) desses mas agora não tem havido assim tantos."

"Também não se passou assim tanto tempo desde que ele chegou." Dou de ombros, indiferenciada com a situação de ter chegado, após ela pronunciar.

[...]

"Acho que é aqui." Aponto para uma casa branca e com dois andares, enorme e bonita.

"Quem me dera ter uma casa destas..." A Christine murmurou para si mesma, porém, não pude evitar rir.

Teen(ager) - h.s {sequela TM}Leia esta história GRATUITAMENTE!