8.

1.5K 76 10

O Harry teve que estacionar relativamente longe do restaurante por causa das fãs, para não descobrirem a matrícula, por exemplo.

Abandono o carro e após retirar a minha filha do seu lugar, Harry tranca o carro e começa a caminhar ao meu lado e da Felicity com um doce sorriso nos lábios. Eu estou concentrada nas palavras que rondam os meus pensamentos: mais propriamente, as do rapaz ao meu lado.

"Harry!" Ouve-se gritar. Curvo-me e reparo que atrás de nós estava uma suposta fã a chorar de emoção e a correr para os braços do Harry. "Oh meu deus, Harry, eu adoro-te tanto, t-a-n-t-o! Podemos tirar uma foto?"

"Claro," Harry largou a mão da filha e mostrou um sorriso para a câmara do telemóvel da rapariga, ainda emocionada.

"Obrigada, Harry! Socorro, não sei como te encontrei por aqui! Amo-te!"

"Também te amo, anjo. Desejo-te o melhor." Dito isto, continuamos o nosso percurso.

Mas não demorou muito para vir outra fã. E outra... e outra... e... outra...

Harry estava a dar autógrafos e a tirar fotos com todas as fãs que formavam um círculo onde o ídolo delas ficava no meio. Furo aquele círculo e aviso o rapaz que ia andando para o restaurante com a minha filha.

Ia a afastar-me mas sou puxada. Curvo-me e sou surpreendida ao ser fotografada por talvez uma fã do Harry.

"Harry, a Felicity é tua filha, mesmo?!" Alguém, do nada, pergunta. Toda a gente ouve, porém eu finjo que simplesmente não ouvi e exito um pouco antes de me afastar da confusão, para ver se Harry lhe responde.

Não vai responder.

"Sim, é." Arregalo os olhos. "Esta," Ele pega na filha, meia que assustada com tanta gente a olhar para ela, que me agarrava a mão. "É a Felicity Styles, tem 3 anos. E a rapariga que me acompanha sempre, vocês sabem que é a Luanna." Imensas fãs estavam a gravar o momento, então facilmente as revistas irão descobrir a verdade toda. Estou pasmada, parva para a vida! "Peço desculpa por não vos ter contado logo que era pai porém a culpa foi mesmo minha; eu tinha medo da vossa reação. Não julguem nas redes sociais estas duas raparigas, estão a quebrar-me por dentro, porque realmente amo-as e isto é tudo verdadeiro."

Após proferir tais palavras, saiu do meio do círculo, agarrou a minha mão e a da filha e continuou o curto percurso completamente indiferente pelo que acabara de acontecer. Eu ainda não encaixei todas as peças do puzzle, será que está tudo bem, mesmo? Sim, estou feliz — sem dúvida! Finalmente, aconteceu o que eu há tanto eu suplicava.

Entramos no restaurante extremamente elegante e dirigimo-nos a uma mesa reservada para nós no piso de cima.

"Fiz a reserva de manhã. Gostas do restaurante?" Ele disse, enquanto lia o cardápio.

"E-Eu... hm,... Penso... Sim. Sim, eu gosto." Murmuro no meio de tantas tentativas de arranjar palavras para falar com o rapaz sentado á minha frente.

"Podemos almoçar a escolha do dia? Parece ótimo."

"Hm, é ótimo. Por mim, tudo bem."

Um garçon, vestido de preto, aproximou-se quando ouviu o chamamento gestual de Harry. Este, pediu-lhe exatamente a escolha do dia e o garçon, após apontar no seu bloco de notas as bebidas deixou-nos.

"Harry...?" Chamo. Ele encara-me.

Sentado á minha frente parece complicado falar porque sou obrigada a olhá-lo nos olhos. Fico nervosa tão facilmente com este homem!

Teen(ager) - h.s {sequela TM}Leia esta história GRATUITAMENTE!