26.

773 56 6

1 mês depois...

Tantas mudanças extraordinárias ocorreram, a rotina alterou e ligações novas formaram-se. A Kate está a fazer o seu melhor para largar os vícios desnecessários e está a ser uma grande mãe para o pequeno Jacob. O Harry tem estado mais afastado de casa pois brevemente partirá em tour (parece que falta muito tempo mas eu sei como passa rápido e como aquela sensação de "não aproveitamos ao máximo" apodera-se num ápice). A minha doce Felicity está a apaixonar-se também pela música e pelos instrumentos que esta nos oferece e estou a pensar seriamente se um dia ela será como o pai. Por fim, algo mais inesperado: tenho passado algum tempo com o namorado da minha mãe, George, guardando os ressentimentos no subconsciente e tentando apenas ver as qualidades deste senhor.

De momento, estou com a minha mãe, o George e a Felicity. Estou tão entusiasmada e nervosa, como se fosse a primeira vez que fosse fazer uma simples ecografia. Com a Felicity as coisas foram mais atribuladas – desta vez quero que tudo corra de uma forma simples e calma.

Estamos na sala de espera, cheia de grávidas com a barriga mais notável que a minha de apenas um mês. Pouso uma mão na mesma e acaricio-a, pensando nos possíveis nomes para menina ou menino (ainda que falte três meses!).

"Luanna!" Ouço o meu nome ser chamado por uma voz feminina que tão bem conheço e adoro: Christine.

Esta veio a correr para os meus braços, do fundo da sala.

"Que saudades!" Pronunciou e eu simplesmente assenti, alegre com o momento.

Sem dúvida, as saudades eram sentidas após a partida da Christine para a França. Ela foi viajar com o John há cerca de duas semanas, e foi impossível comunicarmos porque ambas estivemos sempre ocupadas: uma mensagem ou outra mas nada de mais – nada que estejamos habituadas.

"Quando regressaste?" Murmuro assim que ela se senta ao meu lado, retirando o seu casaco de couro devido ao calor instalado no espaço.

"Ontem." Respondeu, sentando a minha filha no seu colo, enquanto acariciava o seu braço coberto por uma camisola quente. "Não te liguei porque queria fazer-te uma surpresa, a tua mãe revelou-me que hoje vinhas fazer uma ecografia e enfim, que melhor altura."

Encarei a minha mãe e sorri-lhe, agradecida pelo momento proporcionado.

"E como correu a bela França?"

"Foi simplesmente perfeito. Eu tirei imensas fotos como pediste para te mostrar."

"Mal posso esperar para vê-las." Gargalho baixo, após proferir.

"Posso ir para tua casa assim que sairmos daqui, que tal? Tenho a câmara aqui." Apontou para a sua carteira.

"Claro!"

Por fim, um médico vem à sala de espera chamar-me. Eu e a minha mãe levantamo-nos e seguimo-lo até ao seu consultório.

"Vai correr bem." A minha mãe disse, beijando-me o rosto, antes de entrarmos no espaço.

[...]

Abro a porta de casa e dou um pouco de espaço para a Christine e a Felicity entrarem. Estávamos animadas com o facto de sabermos que o bebé está muito bem a nível de saúde e que em princípio assim irá continuar.

Estranhei o silêncio instalado: pensei que a Kate cá estivesse. Tranquei a porta e pousei a minha carteira em cima do sofá.

"Kate? Kate cheguei." Gritei.

Foi a primeira vez que a deixei sozinha com o Jacob, um voto de confiança depositado à rapariga após ter deixado de comprar as estúpidas agulhas.

Aliviando-me, ela desceu as escadas com um doce sorriso nos lábios e a criança nos braços. Cumprimentou-nos e por fim, encarou-me ainda com aquela curva na boca.

"Então, como correu?" Ela perguntou-me, embalando o Jacob que estava acordado e a brincar com os seus próprios dedos.

"Melhor que a primeira vez com a Felicity. Estava mais confortável com a situação, mais ansiosa e feliz." Relaxo as minhas mãos por cima do tecido que cobria a minha barriga. "Quem me dera que o Harry estivesse lá..." Murmuro, de uma forma quase inaudível e entristecida. Recompus-me e tornei a falar. "E como correu tu aqui com o miúdo?"

"Eu sinto-me mais responsável, o Jacob é aquela metade que não me pertencia mas que agora pertence, um anjo que eu valorizo mais que tudo. Estivemos a brincar a tarde inteira." Alegrei-me com as suas palavras e ela passou-me o menino para os braços assim que lhe pedi. "Vale a pena largar certas coisas para no fim receber um bem precioso."

Rolo os olhos, gargalhando com a afirmação que, de facto, também se adequava a mim.

"Mamã, posso pegar nele?" A Felicity perguntou, agarrando-lhe a pequena mão.

"Ele é muito pequeno, meu anjo, mas se te sentares à beira da Christine, eu dou-lhe o Jacob e tu aí podes acariciá-lo à vontade." Ela concordou com a excelente ideia e rapidamente moveu-se para a beira da minha melhor amiga que pousou a câmara dela assim que me ouviu.

Pousei a criança nos seus braços.

Pego no meu telemóvel e marco o número do Harry que só atendeu quando eu ia desistir de ouvir o barulho correspondente a "A chamar".

"Estou?" A sua rouca e sedutora voz, falou.

"Harry, já estou em casa."

"E então, como correu? Conta-me." Encaminhei-me à cozinha, onde poderia falar mais à vontade com o meu noivo.

"Quem me dera que estivesses comigo, eu sei que tu querias imenso e antes que digas, eu sei que precisas de fazer o teu trabalho. Mas... Foi perfeito. Eu estava tão nervosa."

"Eu... hm... Desculpa. Gostava de estar aí a dar-te apoio, tu sabes que sim..."

"Sim, eu... eu sei..." Murmuro, contendo algumas lágrimas que insistiam cair pelas minhas bochechas rosadas.

Ouço a campainha da casa tocar.

"Está alguém a tocar à campainha, vou ver quem é."

"Hm, claro, vai lá. Amo-te, Luanna, não te esqueças disso."

"Eu também te amo, Harry."

"Lamechas."

Desligo a chamada e gargalho com o que ele dissera.

Voltam a tocar.

Em passo apressado, vou abrir a porta principal no hall de entrada. Admiro-me ao deparar-me com dois seguranças fiscais/sociais.

"Luanna Perez?" Um deles, mais alto, pronunciou.

"Sim, a própria."

"Soubemos que a Sr.ª Kate Smith saiu consigo o mês passado do hospital com uma criança que infelizmente, não poderá ser tratada pela mãe biológica. Onde está?"

"O quê?!"

\\\///

chocante, eu sei... O DRAMA VAI REGRESSAR (já estava a demorar, não é verdade?)

esta fic, em princípio, só terá mais dez capítulos, comecem a despedir-se!

ENTRETANTO ADICIONEM AGLIOPHOBIA ÀS VOSSAS LISTAS E COMECEM A LER! ♥

Dear Me.

Teen(ager) - h.s {sequela TM}Leia esta história GRATUITAMENTE!