20.

897 54 3

            Sinto a minha mão ser apertada milhares de vezes. Estes movimentos fizeram-me acordar e preparar-me psicologicamente para mais um dia.

Mas... o Harry está a trabalhar e claramente, a Felicity está no infantário!

Abro as minhas pálpebras de repente, assustada com os meus próprios pensamentos, porém, acalmo-me assim que vejo (afinal) o Harry com um doce sorriso nos lábios.

"Harry...?" Fecho novamente os olhos, quando os seus lábios colaram na minha testa e lhe depositaram um beijo. "Não devias estar a trabalhar?" Agarro a mão dele novamente e acaricio-a, ganhando alguma coragem para me levantar: mas sem sucesso.

"Bem... Eu devia mas, tenho boas notícias: consegui convencer o Simon a dar-me uma folga, neste preciso dia. Após uma longa conversa por chamada telefónica, ele autorizou devido a eu ter-lhe explicado que queria passar um dia com a minha família."

Estava a necessitar desta notícia para realmente despertar. Um sorriso de orelha a orelha apareceu nos meus lábios e as minhas pálpebras abriram revelando a cor dos meus olhos escuros.

"Então a minha Felicity está cá?" Ele assente com um doce sorriso no rosto. "E, hm, e..." Não conseguia controlar o entusiasmo, sinceramente. "Durante este dia não vai haver interrupções profissionais? Isto é, vais estar concentrado em nós e não no teu telemóvel onde caiem todos os problemas do teu trabalho, certo? Sem chamadas ou mensagens...?!"

"Afirmativo. Só espero que gostes então do dia de hoje."

"Mal posso esperar. Onde vamos?"

"Isso é surpresa..."

[...]

Fomos almoçar fora – um restaurante bastante sofisticado – e agora estamos em Kent (uma cidade vizinha de Londres). A Felicity adorou, principalmente, os Fortes Marinhos que conseguiu avistar ao longe; a catedral Rochester e o Bluewater, claro [um centro comercial].

Na verdade, foi uma longa tarde bastante divertida. Admito que sentia saudades destes momentos em família em que todos gargalhamos, divertimo-nos... enfim, não há palavras que descrevam o quão grata estou a Harry (ou talvez a Simon?) por ter conseguido este dia de descanso. É mesmo bom.

É óbvio que também nos deparamos com fãs dele e eu admirei a atenciosa paciência que ele teve para tirar fotos com as vinte, no máximo, que se juntaram em seu redor.

Como já disse imensas vezes, eu não tenho jeito para ser famosa, porém, para minha surpresa, houve raparigas a quererem tirar fotos comigo e com a Felicity. Não recusei. Por um lado, até me senti feliz porque afinal até há pessoas a aceitarem toda esta reviravolta do casamento, da minha menina... Talvez não deva preocupar-me com os insultos que recebo, e não preocupo, porém, é sempre bom ouvir palavras como "São tão queridos juntos!" ou "Vocês têm a filha mais adorável de sempre, quem me dera que fossem os meus pais.". Cheguei até a ouvir "Já ninguém queria ver a Christine com ele!" o que chegara a ser um pouco desagradável mas ao mesmo tempo algo que me alegrava – eu sei que é errado e lamento isso.

E em plenas nove da noite, estamos à espera que a Felicity termine de comer. Novamente, fomos jantar a um restaurante caro e com uma decoração rústica, o que de certa forma me impressionou pois nunca tinha visto algo assim. Mais incrível é estarmos no segundo piso e este ser no exterior.

Permaneço concentrada no céu decorado com imensas estrelas e a bela lua cheia. Por mais incrível que pareça, não está frio, apenas passa uma brisa fresca, porém, agradável; o dia esteve todo assim.

"Gostaste do dia de hoje?" O Harry cortou o silêncio agradável formado entre os três.

"Adorei." Coloco a minha mão por cima da dele, pousada por na toalha da mesa.

Teen(ager) - h.s {sequela TM}Leia esta história GRATUITAMENTE!