28.

764 57 5

            Às vezes sinto-me tão nervosa e insegura, com uma vontade de não fazer nada e permanecer trancada no meu quarto, a pensar no que possivelmente poderei fazer para estar com um pouco de paz. Pensar talvez, no que alguém próximo faria se estivesse na minha situação – mas a vida são dois dias, e eu não posso perder um deles a agir como se o mundo por momento tivesse parado.

A minha mão passa na minha barriga coberta por uma camisola, enquanto a outra agarrava a mão do Harry. Não vejo o momento ideal para lhe contar a verdade, no entanto, é isso que eu vou fazer, mostrar-me capaz de ser-lhe frontal, independentemente da sua reação (que já prevejo desde a noite anterior ser horrível).

"Harry?" Aperto a sua mão, assim que numa voz enfraquecida o chamo, e ele me dá a devida atenção.

O seu olhar confidente, só me colocava sob um estado mais receoso e nervoso. É assim tão incontrolável a vontade de pedir desculpa mesmo antes de desabafar o meu próprio erro?

"Preciso que me oiças com atenção até ao fim."

"Está tudo bem?" Percebi um tom mais preocupado nas suas palavras.

Comecei a contar-lhe, pormenor a pormenor, o que acontecera na tarde passada e conseguia notar o pânico presente no seu rosto, as mãos a suar, e a desilusão. Mas nada me impedia de calar-me, simplesmente não conseguia. Então, palavra a palavra cheguei à conclusão.

"Então, o Jacob é nosso filho, também?!"

"Eu não quero levar isto a sério, Harry. Daqui a uma hora tenho que estar no tribunal e não há nada que me autorize a retornar com este erro. Assim que a Kate se resolver eu vou entregar-lhe a criança e ele crescerá saudavelmente, longe de qualquer perigo." Murmurei, perto dele, quando reparei que fãs começavam a aproximar-se, ainda que cuidadosamente, ao perceber que o Harry estava com uma expressão bastante séria.

"Não consegues manter-te longe da Kate? É que eu consigo, e se tu não, então aconselho-te a ficares com ela e com o Jacob porque comigo isso não vai ocorrer." Cuspiu.

"O que é que queres dizer com isso?"

"Oponho-me a manter-me perto dela mais um pouco. Já viste como é que ela está a interferir na nossa relação? E como é que ela te está a pôr?! Ela é louca e tu vais ficar igual mais tarde ou mais cedo. Perdoa-me mas eu não sou de acordo com isso." Virou-me as costas, deparando-se com uma fã que me parecia estar a ouvir a conversa toda.

Arregalei os olhos. Não acredito que isto acabou de acontecer, ao meu redor só via pessoas a gritarem o nome do Harry e eu nesta situação embaraçosa.

Comecei a caminhar, longe desta confusão toda, para chegar a casa. É perto, e eu não aguento mais um minuto neste sítio.

[...]

"Como assim não vais à sessão do tribunal?!" A Kate gritou do piso de baixo, enquanto eu trocava de roupa para uma sweatshirt e umas leggins, de forma a estar mais confortável. "Pensei que me quisesses ajudar!"

"E que tal adequares a situação ao meu ponto de vista?! Isto foi longe de mais, não consigo continuar contigo a resolver problemas mas depois, num ápice, a arranjares outros. Kate, tens que sair."

"Não, não faças isso, Luanna. Vou para onde?!"

Desço as escadas, com as lágrimas a caírem-me pelo rosto, mesmo à frente da Kate. Senti-me presa no meu próprio labirinto sem saída, qualquer coisa que eu fizesse iria destruir alguém. Ficar com a Kate? Eu e o Harry acabamos. Ficar com o Harry? A Kate é levada pela proteção de menores. Obviamente que para mim, a minha família é o triplo mais importante que uma rapariga que eu prometi ajudar, mas eu não posso ficar com o filho da Kate. É errado. Não sei como reagia se me tirassem a pequena Felicity (que neste momento, está com a minha mãe que se comprometeu a tomar conta dela com o George).

Teen(ager) - h.s {sequela TM}Leia esta história GRATUITAMENTE!