12.

1.1K 61 14

A porta é aberta pelo Liam que segurava a minha filha nos seus braços, que mal me viu quis vir para os meus. Peguei nela e entrei naquela enorme casa que parecia nova pois já não entrava há bastante nela.

Cumprimentei as pessoas (alguns novamente) e caminhei até á cozinha onde estava a mãe do Harry que me sorria. Quem diria que a nossa ligação amigável ia aparecer — sem dúvida, graças ao Harry, apenas nos aproximamos por causa dele, claramente.

"Como está, Luanna?" Perguntou assim que sentei a Felicity numa cadeira em frente à mesa que lá tinha.

"Estou bem e a senhora?" Respondi com total cortesia porque assim mereceu.

Aproximei-me dela em frente á banca da cozinha a cortar alguns legumes e colocando-os numa panela.

"Também estou bem, obrigada. Tenho é andado muito na médica de família, não imagina, sempre a fazer exames." Dou-lhe um desconto, sei que é exagerada.

"Percebo... Mas está tudo bem a nível de saúde?"

"Estou á espera dos resultados mas em princípio sim, sempre na linha." Gargalho com a sua resposta.

"Bem, parece que hoje cozinha, é?"

"Estou a ganhar o gosto pela comida, o meu marido não quer sair de casa eu também raramente quero sair sozinha pois não sei para onde ir, então fico a ver televisão ou a ler e recentemente descobri um canal de culinária interessante."

"Isso é ótimo. A minha mãe quando o meu pai faleceu também ficou sem qualquer entretenimento então entrou num clube de leitura e veja só, é fanática por isso. Já agora, se quiser pode me ligar ás vezes e vamos dar uma volta pela capital, não custa nada!"

"Oh, que agradável, Luanna. Ouvi dizer que a sua mãe agora tem um namorado, é?"

"Pelos vistos, é. Chama-se George, ainda não tive oportunidade de o conhecer."

Na verdade tive, porém, não a aproveitei — mas isso, ela não precisa de saber. Ouço uns passos a entrarem pela cozinha mas não me curvei para ver quem era por boa educação perante a mãe do Harry.

"George? Qual é o seu apelido?"

"Pattinson."

"A sua mãe por acaso disse-lhe que ele era um grande negociador, homem rico e com imenso poder sobre propriedades espalhadas pela América e Europa?"

"Sim, conhece-o?"

"A menina é que o devia conhecer, não? Ele comprou o salão onde trabalhava com a Sr.ª Martha. Nem se sabe o que quer construir lá mas as pessoas estão a começar a revoltar-se por que diz-se que não vai ser nada produtivo para aqui, apenas para expansão dos serviços dele. Agora é capaz de procurar trabalhadores para lá."

Arregalo os olhos e arqueio a sobrancelha. Quem diria que o George era assim tão poderoso, que conseguiu comprar algo que a Martha valorizava tanto. Não pretendo saber como é que sabe aquilo tudo, fico agradecida por saber. Quero falar com a Martha após esta informação.

"Luanna, talvez até seja bom para ti." Apercebi-me que era a Gemma que estava a escutar a conversa desde que eu tinha registado os passos a aproximarem-se, após ela proferir.

"Bom? Bom, porquê? Era um emprego que eu realmente adorava e conseguia conciliar com a universidade e os meus momentos em família."

Encarei-a a roer as unhas de gel já um tanto estragadas, mas aquele era um vício dela.

"Então, é bom porque podes pedir um novo cargo profissional a ele. Conseguirás conciliar com o teu quotidiano se realmente o quiseres fazer, há tempo para tudo. E já agora, como vão esses estudos?"

Teen(ager) - h.s {sequela TM}Leia esta história GRATUITAMENTE!