17.

803 56 3

Eu não queria estar em tão lastimável estado, desiludida com ele e arreliada comigo por continuar a perder tempo com coisas que não devia fazer já que os outros não valorizam o trabalho. Felizmente, não sou a única a sentir-se assim em relação a ele; toda a família ficou entristecida, porém, a Gemma foi a primeira a deixar a raiva tomar conta dela ontem, ao jantar.

É por estas e por outras que o Harry perde os que são mais chegados a ele,— palavras dela que até a mim magoaram de tão encharcadas em ódio estarem.

No dia anterior (1/02) apenas jantamos e fomos embora (eu e a Felicity) assim como os restantes que acharam que não valia a pena estar naquele espaço se o aniversariante não estava presente.

Hoje de manhã, a rotina foi a mesma à exceção de que não consegui olhar para ele nos olhos uma única vez. Eu acordei e ele já estava a ir embora.

"Ás vezes pergunto-me," Comecei a falar, desviando a minha atenção da série que reproduzia na televisão. "Se foi a melhor escolha."

"Estamos outra vez a falar do Harry? Luanna, já debatemos esse assunto à meia hora, ambas concordamos que têm de conversar no entanto, ainda estás a pensar nele." A Christine rola os olhos e encara-me.

Estou em casa dela, precisava urgentemente dos seus conselhos de avózinha — apelidei.

Entristeci, apercebendo-me da realidade que ela estava a dizer. Bufo e escondo o meu rosto com as minhas mãos novamente enraivecida.

Sinto os seus braços rodearem os meus ombros num abraço que necessitava. "Mas tem calma, Luanna. Eu odeio ver-te assim, principalmente quando se trata de rapazes!" Murmurou acariciando os meus cabelos ruivos.

"Desculpa por te estar a incomodar, Chris."

"Incomodar? Céus, tu estás a fazer pior que isso, a interromper o episódio novo da minha série favorita!" Ergo a minha cabeça, encarando-a a gargalhar com, talvez, a minha reação às suas palavras. "Estou a gozar, sonsa. Para que serve uma amiga?"

"Para nos apoiar?" Arqueio a sobrancelha após pronunciar.

"Exato. Porém, uma melhor amiga serve para chatear, chorar baba e ranho, rir pelos momentos mais idiotas. Tu sabes que podes contar comigo e aparecer às, hm, sete da manhã sempre que quiseres. Como o caso de hoje em que decidiste acordar-me."

Gargalho com o que ela dissera e dou de ombros, pedindo desculpa.

Encolho as minhas pernas junto ao peito e esboço um doce sorriso. Continuo a ver o episódio.

"Posso fazer-te uma pergunta?" Ela, de súbito, interroga na parte em que eu queria estar mais concentrada para ver se percebia o que estava a ocorrer.

"Acabaste de fazer por tanto, n-.." Interrompeu-me porque já sabia o que eu ia dizer. A frase é dela de qualquer das formas.

"Estás arrependida de que escolhas? Do pedido de casamento?"

Ia começar a falar mas fiquei sem palavras para proferir. A minha visão dirige-se ao meu pulso, onde estava a pulseira que o Harry há relativamente pouquíssimos meses me deu; e depois o anel de noivado. Ambos lindos, com imenso valor para mim e que jamais irei retirar.

Teen(ager) - h.s {sequela TM}Leia esta história GRATUITAMENTE!