18.

801 56 16

  Afasto-me do seu corpo e viro-me para não revelar as lágrimas que caíam dos meus olhos. Limpo-as, ajeito o meu cabelo com os dedos e giro sobre os meus calcanhares.

"Desculpa, eu... precipitei-me." Murmuro, não olhando para ele nos olhos.

Mordo o meu lábio inferior – hábito de quando estou nervosa – esperando que ele quebrasse o silêncio que aos poucos se instalava para ficar.

"Soube bem. Não pensei que me fosses perdoar." A sua voz projetou contra a parede, deixando-me mais frágil.

"Não perdoei." Finalmente ganhei coragem para olhar as suas esmeraldas enquanto falava. "Nem sei bem o porquê de te ter abraçado mas pareceu-me o mais correto a fazer."

"Eu entendo." Proferiu. "Tu, hm... nós... quer dizer..."

"Harry, eu só quero saber o que é que tu fazes até às tantas da noite quando os outros da banda saem umas horas antes."

"Como é que sabes isso?" O seu tom de voz pareceu-me mais preocupado.

Com certeza que se esqueceu que eu e o Niall somos próximos e que ele me diz a que horas é que sai do estúdio. Não queria que isto acontecesse mas eu começo a desconfiar que ele, talvez, não fica a trabalhar até às duas/três da manhã mas sim a ocupar tempo a conversar com o Simon, como diz o Niall.

"Não interessa o que eu sei ou como eu sei. Responde-me."

"Não precisas de saber isso. Eu fico aqui a trabalhar com o Simon sobre a tour."

"O quê?! Não preciso de saber?!" Aumento o tom já com a frustração a vir ao topo. "Claro que preciso de saber! Eu estou preocupada contigo e simplesmente ignoras isso! Achas mesmo que eu tenho algum interesse em vir aqui preocupar-me contigo como se fosses alguma criança? Céus, é óbvio que não! Mas mais uma vez, Harry estás a esconder-me coisas e tu prometes-te que nunca mais farias isso. Começo a ficar farta." Suspiro para me acalmar e para conter as lágrimas.

"Luanna...," Ele aproxima-se e agarra nos meus braços.

Desvio o meu olhar dele para o chão e dou um passo atrás, para que não me agarre ou aja normalmente como adora fazer.

"Não me toques, Harry. Estou farta de ser manipulada neste teu estúpido jogo."

"Luanna, eu só não conto para o teu bem. Nosso bem. Haverá alguma decisão que possa ser eu a tomar ao invés de ti? Já te disse que isto é o meu trabalho e tu não tens nada a ver com ele."

"Estou farta de segredos, Harry. Acabou." Torno a olhar para a sua silhueta, revelando-lhe as minhas bochechas rosadas e humedecidas com as lágrimas.

"Como assim, acabou?" De súbito, a sua voz fica quase inaudível com o choque das minhas palavras brutas e sinceras.

"Ou tu me contas agora mesmo o que é que se está a passar ou a nossa relação termina. Tu é que decides, o teu trabalho ou a tua relação."

Não é que tivesse intenções de chegar ao cúmulo tão rapidamente ou pronunciar palavras frias que realmente ao serem ouvidas doem até a quem não precisa de as sentir ou não quer saber. Não é chantagem ou curiosidade, mas o passado da nossa relação está repleto de segredos e expressões incompletas. Dispenso regressar a esses tempos, eu quero a sua honestidade de volta.

Ele deixa o seu corpo cair que nem morto num sofá individual e esconde o seu rosto com as palmas das mãos, claramente a pensar se deveria dizer, ou não, o que se estava a passar. Será muito óbvia a resposta?

"O casamento..." Era necessário silêncio total para ouvir as suas palavras num tom bastante baixo.

"O que é que tem?" Já eu continuava a falar alto, desesperada.

As suas mãos desviaram-se de forma a eu poder ver novamente cada feição física bela.

"Se eu, no máximo, daqui a seis meses vou em tour quando será o nosso casamento? Eu fico aqui até essas horas para arranjar maneira de conseguir organizar o nosso casamento antes de eu ir em tour. Quero alterar as datas da mesma para um mês depois mas sabes que é complicado porque as pessoas já começaram a comprar os bilhetes e isso tudo. Se for depois da tour então vai demorar muito tempo para ser oficial. Eu quero que seja dos melhores dias da tua vida."

Tenho que admitir que um sentimento de culpa formou-se no meu estômago e qualquer coisa que eu fosse dizer agora nunca seria tão bonito. Entreabro os meus lábios e suspiro. Caminho até ele e sento-me no seu colo, acariciando as suas bochechas.

"Eu prefiro esperar, Harry. Desde que te tenha ao meu lado." Murmuro, encostando os meus lábios carnudos na testa dele, deixando um beijo molhado nela. "Obrigada por teres dito."

"E se até lá não quiseres mais estar comigo? Encontrares alguém melhor que eu? Quer dizer, é um ano e... eu posso voltar e a Felicity não se lembrar de mim."

"Pode acontecer o mesmo contigo, podes encontrar uma Mariah Carey qualquer." Ele gargalha e eu também por ter conseguido arrancar uma melodia da sua boca. "Amo-te demasiado para amar alguém igual. Eu posso ultrapassar mas não esqueço, tu sabes bem disso. E quanto à Felicity... eu prometo que isso nunca irá acontecer. Falarei sobre ti com ela todos os dias e podemos fazer FaceTime ou Skype. Mas tu sabes que apesar de todos estes aspetos, um ano são muitos dias. Se quatro meses foram uma tortura, imagina doze."

"Eu sei, eu..." Apercebi-me que ele não tinha bem a certeza do que falar, então interrompi-o para aliviar a situação.

"Mas não me deixes." Murmuro e junto os nossos lábios, beijando os seus.

\\\///

talvez as coisas acabem meias lamechas MAS OK É TÃO GOALS #HANNA

aliás, fica já o (SPOILER) aviso, temos que aproveitar estes momentos porque não vão durar assim tanto tempo

próximo capítulo é hot e para os mais sensíveis irei escrever de forma a poderem avançar se não se sentirem à vontade de ler uhjkahijuhil (contando as zero pessoas sensíveis no wattpad)

COMENTEM O QUE ACHAM DE HANNA OU ENTÃO DE FELICIANNA vamos crescer a fic !

Dear Me.

Teen(ager) - h.s {sequela TM}Leia esta história GRATUITAMENTE!