22. Cachorro

944 171 148
                                    

ANA CAROLINA

A mulher estava segurando o riso ao ver a cara de tédio dos três adolescentes jogados no sofá.

— Vamos lá, alegria! — Ana Carolina falou forçando uma animação, balançando os braços e agitando o corpo.

— Por que a gente não pode ficar em casa? — Helena perguntou cruzando os braços que ainda tinham marcas da queda na escola.

— Ok, o que vocês querem fazer? — Ana perguntou em tom desistente e encarando-os com atenção.

— Eu queria ficar em casa lendo... — Helena encolheu os ombros.

— Eu ia no cinema com o Tito — Lívia respondeu sem olhar para a mãe, mas sim com os olhos atentos em uma troca de mensagens.

— Jogar videogame com o Marcelo — Benito falou dando de ombros.

— Ok, todos os planos de vocês são chatos — Ana argumentou e sorriu animada. — Vamos aproveitar o dia de hoje na piscina!

— É o nosso aniversário, por que você está mandando na programação? — Lívia perguntou direcionando o olhar para a mãe e franzindo o cenho com indignação.

— Porque há dezesseis anos atrás, nesse exato momento, eu estava internada em um hospital chorando de dores e sabendo que não dormiria em paz pelos próximos anos da minha vida. Então sim, sou eu quem manda na programação de aniversário quando vocês três estão sendo mais chatos que o habitual — ela respondeu com um sorriso irônico que não combinava muito com a sua personalidade.

— Ei! — ouviu o protesto coletivo dos três e soltou um riso leve.

— Está sol, nós vamos para a piscina, e Tito, Marcelo e Aurora vão estar lá também porque eu já os convidei — explicou pacientemente. — Vocês adoravam o clube da cidade, ficavam implorando pra usar a piscina no sábado. O que aconteceu com vocês?

— Eles ficaram incrivelmente chatos — Nicolas respondeu colocando metade do corpo para dentro da sala. — Coloquei tudo no carro, vamos?

— Você é chato — Benito respondeu ranzinza.

— Você é mais — Nico rebateu, mas logo soltou uma risada. — Vamos lá, vamos relembrar os velhos tempos. O clube era divertido.

— O clube ainda é divertido — Ana reforçou com um sorriso animado. — Se estiver chato nós voltamos pra casa e cada um faz o que quiser.

Os três adolescentes bufaram, mas concordaram com a ideia da mãe e do tio. Iriam ao clube de São Mariano.

— Depois da morte do Leandro, eles sempre ficam chatos no dia do aniversário — Ana comentou enquanto passava o protetor solar nas costas do Nicolas

Ops! Esta imagem não segue as nossas directrizes de conteúdo. Para continuares a publicar, por favor, remova-a ou carrega uma imagem diferente.

— Depois da morte do Leandro, eles sempre ficam chatos no dia do aniversário — Ana comentou enquanto passava o protetor solar nas costas do Nicolas. — Antes eles ficavam o dia todo tristes, depois ficavam só tristes no final do dia e agora simplesmente ficam chatinhos e implicantes. Eles nem querem passar a data comemorativa juntos.

Operação Pinguim | ✓Onde as histórias ganham vida. Descobre agora