20. Pavão

983 177 146
                                    

ANA CAROLINA

Ana estava encarando o espelho com certa apreensão. Mordia o lábio inferior e mexia nos cabelos de segundo em segundo.

Deveria soltar o cabelo? Deveria passar um batom mais claro? Colocar um vestido mais longo? Ou quem sabe colocar uma roupa mais casual?

Definitivamente não sabia mais lidar com encontros. Ela precisava de um tutorial.

— Você está linda, mamãe — Lívia comentou parando no batente da porta do quarto dela.

Ana sorriu e encarou o próprio reflexo. Estava com um vestido preto de alcinhas que ia até metade das coxas, o cabelo estava preso em um rabo de cavalo e um colar delicado pendia em seu pescoço. Os pequenos brincos de prata reluziam nas orelhas e o batom vermelho deixava-a com uma aparência mais sexy.

— Obrigada, querida — ela falou encarando Lívia pelo reflexo do espelho. — Não acha que está muito exagerado? — perguntou apontando para o próprio rosto.

— Está perfeita! — Lívia elogiou sorrindo e se aproximando da mãe.

Ana suspirou e sentou-se na beirada da cama. Deixou que seus ombros caíssem um pouco e fechou os olhos lentamente.

— O que foi? Não está animada? — Lívia questionou confusa pela expressão um pouco desistente da mãe.

— Não é estranho eu estar indo para um encontro? — perguntou abrindo os olhos e encarando o azul oceânico dos olhos da filha.

— Não... — Lívia respondeu sentando-se ao lado da mãe. — Estranho seria passar a vida inteira esperando pelo papai, e nós duas sabemos que infelizmente ele não vai voltar. Você é jovem, cheia de vida e apesar dos pesares nós não somos mais crianças. Daqui dois anos nós estaremos entrando na faculdade e vamos provavelmente nos mudar, isso significa que você vai ficar nessa casa sozinha. E nós sabemos que você não precisa ficar assim. Nós só queremos te ver feliz. E se para transbordar a sua felicidade você precisa de um cara legal ao seu lado, acho justo que comece a ter encontros.

— Às vezes vocês me assustam com tanta maturidade — Ana comentou sorrindo e passando um dos braços pelos ombros da menina e puxando-a para mais perto de si em um abraço carinhoso. — Obrigada, querida.

Ana saiu do quarto pronta para ir ao encontro com Lorenzo, estava sentindo-se insegura como se estivesse indo ao primeiro encontro da sua vida. O que não era muita mentira. Fazia tanto tempo que não se preparava para aquilo que a sensação de estar saindo pela primeira vez como uma adolescente estava crescente dentro de si.

Girava a aliança no dedo nervosamente e ponderava se deveria tirá-la do dedo.

Não... Ainda não estava pronta para isso.

— Uau — foi o primeiro comentário que ouviu quando entrou na sala e sorriu para Nicolas que a encarava com um sorriso largo.

Ela sentiu as bochechas corando e revirou os olhos.

— Arrasou, mamãe! — Helena falou empolgada com um livro em mãos e sentada na poltrona. — O chef vai ficar impressionado!

— E quem não ficaria, não é mesmo? — Nico reforçou ainda sorrindo.

— Eu falei que ela estava maravilhosa — Lívia disse sorrindo convencida e se jogando ao lado de Benito no sofá. — Elogia a mamãe, Bê.

Ana encarou o garoto e ele sorriu dando de ombros.

— Linda, pena que essa arrumação é pra alguém que tem ligação com o imbecil do namorado da Lívia.

— Cala a boca, Benito — a garota respondeu empurrando o irmão rudemente e logo o menino estava pegando uma das almofadas para jogar na irmã.

Operação Pinguim | ✓Onde as histórias ganham vida. Descobre agora