27. Benito vs A Verdade

888 176 47
                                    

BENITO

Benito respirou fundo antes de entrar no próprio quarto. Precisava falar com as irmãs logo ou perderia toda a coragem que foi reunida ao longo da semana.

Era quarta-feira e precisava delas ao seu lado. Precisava dar um passo que não conseguiria se estivesse sozinho. Precisava de Lívia e Helena.

Ele abriu a porta do quarto e encontrou Helena jogada sobre a cama com um livro nas mãos enquanto Lívia estava sentada na ponta da cama com o notebook no colo.

— Ei... preciso pedir uma coisa — Benito falou baixo parando no meio do quarto com o coração acelerado.

— Estou usando o notebook, sem chance de pegar ele agora — Lívia respondeu sem tirar os olhos da tela.

Benito respirou fundo mais uma vez e encarou os olhos de Helena que o analisavam com atenção.

— O que foi, Bê? — ela perguntou carinhosa.

— Eu... é que... — ele tentou falar, mas Lívia não parava de digitar freneticamente. — Porra, Lívia, olha pra mim! — Benito falou alto, quase um grito.

Lívia levantou o olhar da tela e estreitou os olhos na direção dele. Quando ela o viu, ele soube que algo mudou dentro dela, porque ela já não o olhava com a decepção ou o desprezo das últimas semanas.

Agora era um olhar de preocupação.

— O que aconteceu? — ela perguntou deixando o notebook de lado e encarando-o.

— Toda quinta-feira eu vou pra um atendimento psicológico — ele contou baixo e notou que as duas garotas abriram a boca em sinal de surpresa, mas não o interromperam. — E eu vou lá porque eu não superei a morte do papai e também porque me sinto culpado de alguma forma — confessou, sentindo um peso gigante sair das suas costas.

— Bê... — Helena foi a primeira a se pronunciar, levantando-se da cama e indo abraçá-lo rapidamente. — Por que não nos disse antes? Por Deus... Quanto sofrimento...

Benito sentia o abraço e preocupação da irmã, mas os olhos continuavam presos em Lívia que permanecia imóvel sobre a cama.

— Eu... eu subi no sótão semana passada — ele contou e Helena sorriu ao seu lado. Lívia continuava como uma estátua. — Não foi fácil, mas foi o primeiro passo. Enfim, eu preciso me despedir dele, oficialmente — completou mordendo o lábio inferior. — Quero visitar o túmulo e... sei lá, finalizar isso de alguma forma. Dizer adeus. Seguir em frente.

Lívia levantou-se da cama com calma e parou de frente com ele. Olhos azuis ansiosos encarando olhos azuis misteriosos.

— Vamos visitar o papai, mané — ela falou passando uma das mãos pelo cabelo dele e bagunçando propositalmente. — Hora de colocar essa merda toda aí pra fora.

Benito sorriu.

Lívia está de volta.

Lívia está de volta

Ops! Esta imagem não segue as nossas directrizes de conteúdo. Para continuares a publicar, por favor, remova-a ou carrega uma imagem diferente.
Operação Pinguim | ✓Onde as histórias ganham vida. Descobre agora