Capítulo 1

31 0 0

     Eu sou o policial da polícia federal, estou nas faixas dos 40 anos, mas não tento ser um aqueles tipos de velhos que odeiam tecnologia e preferem sempre o modo antigo, sempre tento me atualizar com tudo, o motivo disso tudo, é o meu jeito de tentar entrar na mente do assassino, para ser mais fácil de ir atrás dele.  

 Uma coisa que eu fico nas antigas. Sempre tento evitar pessoas nas redes sociais,por um simples motivo, nas redes sociais a pessoa, pode se tornar quem ela quiser menos ela mesma, mas quando se encontra pessoalmente, você realmente olha a pessoa e ver do que ela gosta, e percebe se essa pessoa está mentindo para você. 

  Eu estava na minha cama, eu sou caucasiano, cabelos curtos e pretos, olhos castanhos, eu usava meu pijama azul, eu tenho uma filha, ela tem uns 18 anos, o nome dela é Cassandra, tem cabelos longos e pretos, olhos castanhos, minha mulher, ela infelizmente sofreu um acidente de carro, morrendo nesse dia, nós ficamos arrasados.

  Eu estava na minha cama, criando coragem para me levantar, tinha vontade de ficar aqui na casa, mas sabia que tinha que me levantar para fazer o meu trabalho, notei que estava sem camisa estava só com as minhas calças jeans, vi a minha arma em cima da escrivaninha, me levantei peguei meu coldre. 

  Depois peguei a minha arma, fico pensando como pude deixar a minha arma em plena vista, sempre pode ocorrer o risco da minha filha entra aqui e pegar a arma, porque está com raiva de alguém, sei que ela é crescida, mas se ela fizer alguma merda com a minha arma,eu serei o responsável por tudo o que aconteceu, simplesmente coloquei ela no lugar no coldre, coloquei o coldre junto de min. 

  Minha cabeça estava pesando um pouco, ontem eu fui beber com os meus amigos, eu espero não ter feito nenhum tipo de besteira do tipo das grandes, que teria que envolver advogados, minha vida estava uma merda do jeito que está não quero que esta merda aumente vou pegar a minha camisa social azul, depois pego o meu distintivo, coloco ele no pescoço, saio do meu quarto, noto que tudo está normal isto para min. é pelo menos um bom sinal, fui andando em direção à cozinha, fui fazer um cafezinho para min. Notei que a minha filha estava assistindo TV, me sentei ao lado dela, era algum tipo de entrevista. 

  - Quem é esse? - Perguntei para Cassandra. 

  - É um youtuber você não conhece.

  - Você gosta dele? 

  - Eu acho todos os vídeos dele bons.

  - Mas qual é o nome dele? 

  - É Daniel Rochers, você vai ver os vídeos dele? 

  -Eu sempre tenho que está atualizado com o mundo de hoje.

  - Por quê? 

   -Porque sou um detetive, e quero saber o que bandidos de hoje pensam e o que veem,para eu poder pegá-los.

   -Duvido que os fãs dele, podem fazer algo de ruim. 

   - Você já ouviu falar dos fanáticos? 

   - Eu sei são de coisas religiosas.

   - Nem é tão simples eles podem surgir de qualquer base de fãs. 

   - Este é o meu pai, me atualizando das coisas ruins do - Eu já prendi alguns fanáticos, nem queira saber o que alguns deles fizeram.

   - Ual você sabe alegrar o dia. 

   - Desculpe, acho que é a minha natureza. 

   -Ser feliz! 

  -Pensar sempre nas coisas ruins.

   - Relaxa aqui no Brasil, não existem muitos assassinos em série, é muito raro um aparecer. 

Segredos sinistroLeia esta história GRATUITAMENTE!