Capítulo: Part 25

2 0 0

  Eu estava muito preocupada por que a Diana não veio para a escola hoje, isso é muito estranho da parte dela, não costuma faltar aulas, desta vez estou realmente preocupado com ela, queria que ela me ligar-se.

  Não resisto e ligo para ela, mas era mesmo que nada o telefone dela tocava e tocava, mas a Diana não atendia este comportamento estranho. Não sei se quando o meu pai chegar conto para ele a minha preocupação.

  A pior parte é que aqueles dois irmão estão à solta, tenho certeza que eles são uma dupla de assassinos, fico pensando se eles tiveram alguma coisa haver com o desaparecimento dela. Tive uma ideia liguei para a mãe dela.

  - Alô – Disse a Mãe da Diana.

  - Oi, sou eu Cassandra.

  - A olá, como vai?

  - Vou bem obrigada, ousa tem uma coisa que eu gostaria de te perguntar?

  - O que seria?

  - Se você viu a Diana?

  - Não, não a vi, pensava que ela estava com vocês?

  - Não, ela não está.

  - Vou chamar a policia.

  - Acho uma boa ideia.

  - Tchau.

  - Tchau.

  Este telefonema não me ajudou em nada, agora só estava cada vez mais preocupado com ela. Não tenho duvida tenho certeza quando o meu pai chegar a casa, vou falar isso para ele. Apesar da área dele, não é procurar pessoas desaparecidas, mas tenho certeza, que ele iria fazer alguma coisa, tenho certeza disso.

  De repente penso será que ela está com a Maria, então ligo para ela.

  - Alô – disse a Maria.

  - Olá, Maria aqui é a Cassandra.

  - Oi, Cassandra tudo bem?

  - Não no momento.

    - O que foi?

  - Me diga, por favor, de que a Diana está aí.

  - Não, ela não está aqui.

  - Merda!

  - O que foi?

  - Não encontro a Diana de jeito nenhum.

  - Sério.

  - Sim, a mãe dela, está ligando para a polícia nesse momento.

  - Espero que nada tenha acontecido com ela.

  - Eu também espero.

  - Você vai ver que ela vai acabar aparecendo.

  - Tomara.

  - Se bem que ela não podia escolher a pior hora para desaparecer.

  - E ainda com aqueles irmãos a solta.

  - Você acha que eles fizeram alguma coisa com ela.

  - Este é o problema e eu não sei.

  - Espero que ela não tenha saído com eles.

  - Oh meu deus, que burra.

  - O quê?

  - Eu devia ter avisado para ela, do perigo que ela estava correndo se ela andar com eles.

Segredos sinistroLeia esta história GRATUITAMENTE!