Capítulo: Part 30

2 0 0

  Eu ainda estava muito chateada que a minha amiga Diana tenha morrido, estava tentando me recuperar do trauma de alguém ter morrido bem na minha frente de novo, não queria ver isso não importando de quem seja.

  Recebo uma ligação da Maria.

  - Amiga – Disse a Maria chorando.

  Por um momento fiquei sem reação, se ela estava chorando isso quer dizer que algo ruim está acontecendo, fico imaginando sela ela estava em perigo.

  - Você está bem? – Disse isso para ela.

  - Não.

  - Alguém te feriu.

  - Não.

  - Você está correndo perigo.

  - Por enquanto não.

  - Como assim por enquanto?

  - Não sei se ele vai me atacar.

  - Ele, ele quem?

  - Daniel.

  Quando ela fala o nome dele meu coração pula em disparado, o que ele tentou fazer com ela, uma coisa horrível passou pela a minha cabeça.

  - Ele tentou forças o sexo em você – Disse isso para ela.

  - Não, não, não cheguei perto disso.

  - Que bom.

  Dou-me conta que se não era isso, poderia ser a outra coisa, que ele poderia ser realmente o assassino daquela garota.

  - Me diga que você não foi investigar ele – Disse Para a Maria.

  - Fui.

  - Merda! Você não sabe que isso é muito perigoso.

  - Eu sei, eu sei.

  Apesar de a situação ser séria por um momento fico pensando será que eu estava agindo que nem a minha tia.

  - O que você descobriu? – Disse isso para a Maria.

  - Que nós estávamos errada no inicio.

  - Como assim?

  - Que alguém tinha armado para ele.

  - Você está querendo me dizer que...

  - Foi ele que matou a garota.

  - Maldito.

  - E também matou a Diana...

  Quando ela fala isso sentir uma raiva tão grande, fiquei por um momento sem palavras, aquele rato maldito, aquele traidor de uma figa.

  - Você está bem? – Disse a Maria.

  - Não, não estou.

  - Sinto muito.

  - Você não tem nada com o que se desculpar.

  - Me prometa que você vai falar com o seu pai.

  - Eu prometo.

  A gente se despedi e desligo o telefone, sinto muito amiga por ter mentido, não queria quebrar uma promessa, mas não posso deixar uma traição dessas passar, tenho que fazer alguma coisa, por ter matado a minha amiga.

  Fico procurando em casa não consigo encontra de jeito nenhum alguma arma do meu pai, fico puta de raiva, ficava procurando por todo canto e não encontrava a maldita arma, fico com raiva dou um chute em uma cadeira.

Segredos sinistroLeia esta história GRATUITAMENTE!