Capitulo:07

2 0 0

  Eu estava com raiva, de eu ter perdido uma pista, que poderia ser muito crucial para o meu caso, se o maldito suspeito não tivesse pensado a mesma coisa talvez eu tivesse descoberto que é o culpado, mas não adianta fica reclamando da vida, tenho que descobrir uma maneira de achar ele, mas como as pistas praticamente acabaram. O Paulo estava chegando perto com um café na mão, ele sentou na cadeira do lado, ele parecia está tranquilo com a situação. Uma coisa que eu fico com raiva é como ele pode está tão calmo se a gente deixou um suspeito escapar.

   - Como você está? - Disso o Paulo.

   - Nada feliz - Eu bato na mesa - Nós estávamos tão perto. 

   - Bem infelizmente a gente não pode fazer nada. 

   - Nós não podemos simplesmente desistir. 

   - Eu não falei em desistir, mas por enquanto não tem nada para nós.

   - Aí, que você se engana. 

   - Do que você está falando? Tem sempre alguma coisa para a gente, é só nós procurarmos direito. 

   - Achou alguma pista?

   - Ainda não. 

   - Então como eu falei. 

   - Eu já disse é só a gente procurar direito.

   - Ei cara posso te fazer uma pergunta? 

   - Pode falar? 

   - Eu sei que antes de mim Você tinha uma parceira chamada Liza, o que aconteceu para vocês dois se separarem. 

   - A irmã dela. 

   - Você pegou a irmã dela?

   - Ela era a minha esposa.

   - Ual você realmente pegou a irmã dela!

   - Mas respeito, por favor, é a minha falecida esposa.

   - Mas foi só por isso que vocês dois terminaram a parceria? 

   - Você sabe da historia do meu irmão. 

   - Eu sei pelo que me dizem você matou ele. 

  - Exato, por causa disso eu desprezava qualquer tipo de amizade ou relacionamentos. 

   - Daí a irmã dela apareceu, certo? 

   - Quase isso.

   - Certo. 

   - A minha esposa antes de me conhecer era uma drogada e ela sempre perdia ajuda da irmã, ela ajudava, mas era o mesmo que nada. 

   - Ual sério isso?

   - É só que uma dessas vezes, eu peguei a mensagem que era para ser da Liza, era a irmã, então eu sem dizer nada para a Liza. 

   - Você foi de encontro com a irmã dela? 

   - Certo, eu ajudei prendendo ela, até forçadamente ela parar de se drogar, ou ela parava ou deixava para morrer. 

   - Você realmente iria deixar essa pessoa morrer?

   - Você não me conhecia na época, eu era mais frio do que sou agora, dai o resto é historia.

   - Deixe-me adivinhar ela não gostou do jeito como você ajudou a irmã dela.

Segredos sinistroLeia esta história GRATUITAMENTE!