11

1.4K 119 10

— Jayden?

— Oi Sum!

— Por onde você andou? Não te vi na empresa hoje.

— Você sabe do poder que Linda tem...

— Quero que você passe o Dia de Ação de Graças com a gente, você vem, não é?

— Claro que sim, Linda disse algo sobre tortas.

— Então acho que chegou a hora de eu experimentar sua mousse. Não esqueça de levar uma sobremesa ou mamãe te mata!

— Ela vai adorar minha mousse, não se preocupe.

Foi fácil descobrir que Linda havia chegado pelos gritos que ela dava no corredor, abri a porta antes que ela pudesse bater e a encarei enquanto ela tentava equilibrar as bolas e os ingredientes da torta.

— Eu deveria convocar a associação dos moradores, você realmente não consegue chegar sem fazer barulho?

— Desculpa senhorita estraga-prazeres eu só estava cantando. Bom, eu trouxe tudo o que vamos precisar para fazer umas três tortas.

— Ótimo, você já ligou para os seus pais? — Sorri.

— Eu não sei se eles vão querer vir Sum, você sabe como são as coisas.

Linda nunca tinha tido uma ótima relação com os pais, primeiro porque ela havia largado tudo para morar no Brooklyn e seguir seu sonho de estilista e segundo porque os pais dela odiavam o Brooklyn e a ideia dela querer criar roupas ao invés de estudar direito.

— Eles vão sim, eles amam você Lind.

~~

Senti o sol quente penetrar as cortinas de seda e queimar meu rosto escondido atrás dos lençóis, caminhei em passos lentos para chegar até a cozinha e preparar o café. O cheiro de torta impregnava o ar na casa toda, passei a mão pelos olhos me espreguiçando.

— Feliz Dia de Ação de Graças! — Mamãe gritou através do telefone.

— Bom dia mãe, como estão os preparativos?

— Ah você sabe, a mesma correria de sempre, eu estou me acabando na cozinha você sabe como eu acho especial cozinhar.

— Eu já estou chegando, você já ligou para a tia Chayne? — Perguntei.

— Espero que ela não traga as crianças, você sabe o que eu acho das crianças.

Dei uma risada enquanto ouvia minha mãe murmurar sobre as filhas da titia Chayne.

Ajeitei a saia lápis sobre o corpo provavelmente era uma das mais apertadas que Linda me dera atravessei o gramado completamente verde do quintal da casa dos meus pais. As mesas estavam todas arrumadas em fileira e a festa de Ação de Graças parecia mais um casamento com tantos enfeites e detalhes que mamãe escolhera.

— Você está atrasada. — Papai sorriu enquanto ajeitava as mesas.

— Mamãe pretende chamar a vizinhança inteira?

— Não, esse ano ela disse que será mais íntimo, você lembra do ano passado.

— A vizinha roubou as tortas da mamãe para a festa que ela estava planejando, eu me lembro.

Papai deu uma risada engraçada enquanto me abraçava, era tão bom sentir o abraço dele. Me desvencilhei de seu abraço e continuei andando até a cozinha para conseguir deixar as tortas na bancada.

Observei cada detalhe da casa minuciosamente, eu sentia tanta falta de morar aqui. Caminhei em passos largos até a sala onde os móveis estavam completamente diferentes do que da última vez que eu estive aqui, mamãe sempre mudava as coisas de lugar e substituía pelos antigos móveis da vovó que ficavam no porão.

Doce SeduçãoLeia esta história GRATUITAMENTE!