36

759 69 20

NARRADO POR SUMMER CAMPBELL:

Meus olhos estão presos nos de Oliver, não consigo olhar para seu rosto sem conseguir pensar no dia de seu velório, do discurso fúnebre e da minha insatisfação. Não consigo olhar para ele sem lembrar dos noticiários cheios de fotos dele, cheios de especulação, não consigo esquecer do rio na estrada. Não consigo esquecer a ideia de seu corpo ter afogado e sumido.

— Foi Eve quem me ajudou. – Ele me olha e eu não consigo controlar a expressão de espanto.

— Eve? – Minha garganta está seca.

— Ela pensou em tudo, ela deu ideia de forjar a minha morte e se não fosse por ela eu estaria realmente em um caixão agora, Summer. – Sinto a carga de emoção em seus olhos.

— É difícil acreditar que a Eve que eu conheço fez tudo isso para te salvar, Oliver.

Era estranho falar seu nome com ele estando bem na minha frente, estava acostumada a conversar com Oliver apenas olhando para um túmulo vazio com flores mortas. A sensação era boa, impagável, mas ainda me sentia anestesiada.

— Eu sei que ela errou no passado, ela me traiu com Bart, mas eu também estava errado em não dar atenção para ela.

— Como você soube do nosso plano? Naquele sábado...

— Eve foi quem entendeu tudo, eu sabia que Bart não iria querer só roubar a empresa.

— Eve foi brilhante, mas ela passou todo esse tempo atrapalhando a minha vida com Aaron.

— Eu soube que vocês já se resolveram, fico feliz por isso. – Ele sorri.

— Meiridi está de volta. – Mudo de assunto.

— Como está sendo para você? – Sua voz sai calma.

— Está tudo bem, Will manipulou ela e eu acredito... ela está tão diferente.

— Diferente?

— Não estou falando só do jeito, ela está mais magra, tem hematomas no seu corpo. Ele a feriu também.

— Eu sinto muito. – Ele sorri com tristeza. — Ele vai pagar por tudo isso agora.

— Você sempre foi meu melhor amigo, Oliver. – Sorrio apertando suas mãos. — Você ainda é o meu melhor amigo. – As lágrimas cortam meu rosto e ele sorri ainda mais. — Eu senti tanto a sua falta, por Deus, eu achei que você tivesse morrido e isso me rasgou inteira.

— Me desculpa, por favor... eu não queria ter te deixado no seu momento mais difícil.

— A culpa não foi sua, Oliver. Você mesmo sempre disse que eu era muito sensível e eu concordo. – Sorrio de lado.

— Doeu tanto te deixar aqui sozinha com tudo o que aconteceu.

— Eu sobrevivi e você também. – Ele me puxa para um abraço. — Ainda quero saber por onde você andou todos esses anos.

— Texas. – Ele ri.

— Uau, você foi para o Texas?

Doce SeduçãoLeia esta história GRATUITAMENTE!