15

1.3K 83 4

Tateei o corpo de um Aaron adormecido, o peitoral desnudo dele subia e descia indicando uma respiração leve

Oops! This image does not follow our content guidelines. To continue publishing, please remove it or upload a different image.

Tateei o corpo de um Aaron adormecido, o peitoral desnudo dele subia e descia indicando uma respiração leve. Sorri brevemente. Me espreguicei antes de levantar e tocar os pés no tapete felpudo que ficava ao lado da cama. Desci a escadaria que me levou até a sala de estar dele, tudo estava calmo e silencioso, o gato de Aaron saiu por detrás do sofá e esfregou os pelinhos dourados nas minhas pernas.

— Você acordou cedo. — Aaron sorriu parecendo sonolento.

— Você ronca muito alto, foi difícil não levantar. — Brinquei rindo de Aaron.

— Eu não ronco. Só por isso você vai fazer o café da manhã e eu quero panquecas com bastante calda. — Aaron bufou.

— Isso não vale. Eu não sou muito boa com panquecas.

— Eu vou estar aqui para assistir tudo. – Aaron riu.

Joguei todos os ingredientes na bancada de mármore negro, Aaron ajeitou a calça de moletom vermelha que usava e deu uma risada enquanto me observava mexer o creme das panquecas e as gotinhas sujarem meu cabelo.

— Não adianta me olhar com essa cara porque eu não vou te ajudar. — Aaron riu.

— Eu não estou pedindo sua ajuda. — Fiz uma careta.

Levanto da cadeira enorme da bancada e continuo mexendo os ingredientes observando Aaron de longe.

— Pronto! — Arfei assim que retirei a última panqueca da frigideira.

Espalhei toda a calda nas panquecas fazendo Aaron suspirar quase como se estivesse gostando. Empurrei o prato de panquecas para perto dele.

— Se eu morrer agora, diga a todos que eu amo minha empresa.

— Sério? — Mostrei a língua para Aaron que deu uma risada aguda.

— Bom... nada mal para uma iniciante. — Aaron piscou.

— Estão deliciosas, não é? Eu sabia que você ia gostar.

Me joguei ao lado de Aaron no sofá enquanto ele girava o garfo com habilidade enfiando mais um pedaço de panqueca na boca.

As horas passaram lentamente quase se arrastando, os ponteiros pareciam demorar para girar e eu estava infinitamente feliz por isso. Passar o dia com Aaron fora da empresa ou da minha casa estava sendo ótimo, principalmente porque passamos a tarde conversando sobre coisas fúteis ou contando histórias sobre os acampamentos de verão que Aaron participava.

— Sum? — Aaron falou em meio as risadas.

— O que foi? — Mordi o lábio.

— Você já pensou em tirar férias? — Aaron sorriu.

— É o que mais penso mas você sabe que não posso tirar férias agora. — Ri.

— Eu quero que você vá comigo para os Hamptons. — Aaron entortou os olhos azuis.

Doce SeduçãoLeia esta história GRATUITAMENTE!