Eu estou perdendo o juízo, só pode.

Eu quase que me entrego para o Samuel. Na minha casa. Em cima do balcão da minha cozinha. Com a minha filha dormindo no quarto dela, podendo acordar - e acordou - à qualquer momento...

Samuel ainda vai me fazer ser presa por atentado ao pudor! Mas porque ele tinha que ser tão sexy?

E além do mais, a atenção que ele deu pra minha filha, e a amizade que eles começaram a partilhar, e ver que a Manu já gostava dele, não sei, mas me deu um tesão absurdo.

Tão grande que eu que comecei a instigar ele na cozinha. O beijo dele era tão bom. E eu me sentia tão bem naquele corpo grande e quente, que nem percebo que estou me envolvendo demais.

E aquela coisa monstruosa que ele tinha no meio das pernas. Nossa, só de pensar nele fazendo pressão em mim, eu já fico completamente louca e molhada.

Manu disse que teve um pesadelo, por isso ela acordou. Não quis entrar em muitos detalhes sobre o seu pesadelo. Só me pediu para que eu dormisse ao seu lado. E eu dormi abraçada com a minha pequena estrelinha.

Seis horas da manhã eu já estava de pé.

Fiz o café da manhã e o tomei descontraidamente com a minha filha. Ela foi para a sala, assistir alguns desenhos que passam pela manhã e eu fui logo fazer a sobremesa. Se eu a fizesse agora, daria tempo de gelar até a hora do almoço.

Ficar próxima desse balcão me trouxe diversas lembranças boas de ontem.

Manu veio para cozinha atraída pelo cheirinho de chocolate derretido e ela pediu pra ajudar com o que quer que eu tivesse fazendo. Claro que eu deixei ela me ajudar.

Demorei muito mais tempo do que o necessário para fazer o mouse, mas me diverti muito com a minha pequena. Pedi para que ela fosse para a sala novamente, já que agora vou mexer com carnes e cortar muitas coisas, não quero que ela se machuque.

Depois disso fui organizar os ingredientes para o almoço. Vou fazer um arroz de forno, com camarões e tudo o que tiver direito e uma lasanha de carne.

Fui fazendo tudo sem pressa e onze horas da manhã e eu já tenho tudo praticamente pronto.

A lasanha já estava pronta para ser posta no forno junto com o arroz que eu preparei. A salada estava na geladeira junto com o suco. Sobremesa no congelador terminando de gelar.

Olhei para o relógio e vi que eu tinha tempo de tomar um banho, e tenho tempo de me arrumar antes que eu possa ficar pronta.

Depois de colocar as coisas no forno eu fui na sala e falei com a minha filha.

- Manu meu amor, não vá para a cozinha agora não viu? Coloquei algumas no forno e lá está bem quente tá princesa?

- Tá certo mamãe.

Dou um beijo em sua testa e vou tomar o meu banho.

Depois de limpa e devidamente hidratada, eu vou me vestir. Coloco uma lingerie simples preta, uma blusa folgada preta, com alguns babados na região dos seios e um short jeans com uma lavagem bem clara. Saio do quarto com os cabelos ainda molhados enrolados na toalha e descalça.

Apago a chama do fogão e vou arrumar logo a mesa. Coloco tudo no lugar e separo logo no balcão da cozinha as tacinhas para a sobremesa.

O interfone toca.

- Deve ser o Sam - falo animada e vou atender. Sim, o porteiro disse que era ele e eu liberei a sua entrada.

- Quem é mamãe? - Manu pergunta. - É o tio Sam?

Amor na Segunda VoltaLeia esta história GRATUITAMENTE!