– Filha, precisando de mim, é só ligar, você sabe não é? – dou o quarto abraço na Manu.

– Eu sei mamãe. Pode deixar, se eu precisar de qualquer coisa eu peço pro papai Rico ligar pra senhora, tá certo?

– Certo minha filha – encho a bochecha dela de beijos e finalmente a solto.

– Cuida bem da mamãe tá papai Sam? – Manu vai dar um abraço e um beijo no meu namorado.

– Pode deixar princesa, eu cuido diretinho da sua mãe – Samuel fala sorridente, eu sei que ele não falou mal intencionado isso, mas eu só consegui pensar nele cuidando bem de mim na cama.

– Se comporta tá meu amor? – falo abraçando ela uma última vez.

– Eu sou uma mocinha muito comportada – Manu sorri e olha para mim.

– Vamos indo então filha? – Ricardo fala colando a pequena bolsa com algumas roupas dela no ombro e estendendo a mão para ela.

– Vamos papai – ela me solta e segura a mão do Ricardo. – Tchau mamãe, tchau papai.

Ricardo se despede casualmente de mim. Ele ainda não tinha superado a sua tentativa de beijo, e eu que não vou mais tocar no assunto. Mas como ele não mudou nada com a Manu, resolvi deixar as coisas como estão.

Então ficamos sozinhos no apartamento. Ainda acho muito estranho passar um final de semana sem a minha filha, com o som da sua risada de vez em quando ecoando pelo apartamento... Aperto os braços ao meu redor, e Samuel percebe isso.

– Minha linda, deixa que eu faço isso – ele me abraça bem apertado e me sinto melhor.

– Obrigada amor. E por ficar aqui comigo o final de semana.

Nossos finais de semana já estavam virando rotina, mas não no sentido ruim de rotina em um relacionamento. Ele vinha passava o final de semana aqui, ou passávamos no apartamento dele. Nossos programas eram bem família, pois ele sempre fazia questão da Manu nos acompanhar. Mas Samuel sempre pensava em alguma coisa diferente para fazermos.

Claro que a minha filha amava quando íamos para o hotel do Samuel, já que lá tinha a piscina, e a Manu se esbaldava no banho. Esse era o primeiro final de semana em muito tempo que a Manu saía de casa.

Ricardo tinha passado quase dois meses fora, por conta do trabalho e quando ele voltou os dois quase me imploraram para passar um tempo juntos. Claro que eu concordei.

Fizemos nada por um bom tempo até que nos aconchegamos no sofá e o Samuel começou a procurar alguma coisa interessante para assistirmos. Minha cabeça estava descansando no braço dele e estava quase que sentada no colo dele, e por incrível que pareça, eu estava muito confortável.

– Então, estava pensando em mais tarde irmos pra algum lugar diferente, um restaurante legal e romântico, o que acha? – ele pergunta com a sua boca bem perto da minha orelha.

– Acho uma ideia maravilhosa.

– Você coloca um vestido sexy e eu passo o jantar inteiro pensando em milhares de maneira de retirar ele de você – sua boca desde pelo meu pescoço e eu inclino a cabeça, para ajudar o acesso dele ali.

– Quem sabe no final da noite você consegue me ver somente de salto alto – falo brincando e me viro de frente para ele.

– Então é um encontro?

– Sim, temos um encontro.

– E o que você quer fazer agora? – ele pergunta elevando uma de suas grandes sobrancelhas.

Amor na Segunda VoltaLeia esta história GRATUITAMENTE!