Bom dia meus amores! Bem, como o título do capítulo já diz, esse é uma tentativa de presente para todas as mães desse Brasil, acompanhando o livro ou não, vocês merecem todo o carinho!

Para todas as mamães lindas que leem o meu livro, eu escrevi esse pequeno bônus, é bem curtinho mesmo, como uma homenagem a tudo o que vocês são! Mulheres lindas, guerreiras e trabalhadoras :D

Aí tem o carinho de uma filha para sua mãe. E eu quero que todas se sintam abraçadas. Hoje é o dia delas, porque todos os outros dias, elas fazem o dia dos filhos, o dia do marido, o dia da família. As mães que são pais e mães, as mães amadas, as que trabalham o dia inteiro e quando chegam em casa ainda tem o maior sorriso do mundo para receber os filhos, as mães que cuidam dos seus filhos e que sempre querem o melhor para eles, as mães que são amigas, companheiras e confidentes, as mães que representam um amor tão puro e verdadeiro que é difícil de ser descrito, as mães que são a base da família, as mães que sempre colocam a felicidade dela acima dos problemas, e não podendo esquecer da minha mãe, que é tudo na minha vida, que puxou minha orelha quando precisei, que me consolou quando não tinha mais ninguém, que me ensinou a ser essa pessoa especial e com muita fé. Eu te amo mãe. Obrigada por sempre me apoiar.

Todas as mães que estão lendo isso, um feliz dia das mães. E acho que já falei demais, vamos ao bônus ^^



- Bom dia mamãe! - minha filha fala passando a mão de leve em meus cabelos. Ao abrir o olho vejo minha pequena com o seu pijama favorito e com um sorriso enorme em seu rosto.

- Bom dia minha princesa - falo, tentando afastar o sono e me ajeitando na cama. - A que devo essa visita tão especial?

- Feliz dia das mães! - ela me estende um cartão vermelho grande e com um coração bem bonito na capa.

- Obrigada meu amor - falo recebendo o cartão.

Assim que eu recebo o cartão, ela pula na minha cama e me dá um abraço bem apertado, o que me pega de surpresa e me faz cair de costas no colchão. Manu começa a rir e eu acompanho a minha filha.

- A senhora não vai ler o cartão?

- Claro que sim. Só tive que fazer uma pausa para receber esse abraço gostoso - pego o cartão e abro. A letra da minha filha pequena e redonda ocupa uma parte do cartão, e o que eu leio é a coisa mais linda.

"A senhora é a mãe que me dá carinho. A que briga comigo quando eu preciso. A que sempre está sorrindo. A que sempre foi mais que tudo na minha vida. Sei que às vezes eu não quero guardar os meus brinquedos, mas a senhora nunca briga muito comigo e sempre me ajuda a guardar tudo. Eu gosto quando a senhora está penteando meu cabelo e me conta histórias para dormir. Gosto quando a senhora me dá um beijo e me deseja bom dia na escola. Gosto como toda noite a senhora me dá um beijo na testa e os pesadelos vão embora. Gosto que mesmo eu não tendo um pai, eu não sinta muita falta. Gosto quando a senhora coloca geleia no meu sanduíche e faz uma carinha feliz. A senhora é a melhor e quando eu crescer eu quero ser igual à senhora. Uma mulher bonita e feliz. Eu te amo muito mamãe. Feliz dia das mães."

Nem preciso dizer que depois de ler aquelas palavras simples da minha filha eu estava chorando.

- A senhora não gostou mamãe? Porque a senhora está chorando? - minha filha fala pegando na minha bochecha e capturando uma lágrima que descia.

- Ah não filha, eu gostei muito do cartão. Ficou lindo. Amei as palavras. E eu também te amo bem muito.

- E porque a senhora está chorando?

Amor na Segunda VoltaLeia esta história GRATUITAMENTE!