- Obrigada por nos trazer em casa - falo com a minha filha adormecida em meu colo e dando um beijo em meu namorado. - E por me ajudar a trazer esse mundo de presentes...

- Amanhã eu passo aqui pra entregar o presente da Manu, pode ser? Sem problemas minha linda.

- Claro que sim.

- Até a vista amiga que ignora as amigas para falar com o namorado - Carol fala na brincadeira.

- Até amiga. Obrigada por tudo. Vocês dois.

Abro um enorme sorriso e vou direto para o meu apartamento. E assim que abro a porta minha filha tira a cabeça do meu ombro e diz sorrindo.

- Obrigada mamãe, esse foi o melhor aniversário que eu já tive.

- Então a senhorita estava acordada, mas só queria uma carona aqui pra cima? - pergunto sorrindo.

- E perder a oportunidade? - ela fala sorrindo também, mas o bocejo que ela dá logo em seguida denuncia que ela está bem cansada.

- Ih, mas parece que por muito pouco tempo...

- Então eu só vou abrir meus presentes amanhã?

- Acho melhor minha flor. Assim você pode brincar quanto você quiser quando você abrir os seus brinquedos.

- Certo mãe. Pode deixar que eu vou sozinha.

Ela me dá um beijo na bochecha e desce dos meus braços. Depois de ajudar minha filha a se livrar do vestido e do brilho em seus olhos. Ela se deita em sua cama e antes mesmo de eu lhe desejar uma boa noite, ela já dorme profundamente.

Também não demoro muito para dormir também.

Antes mesmo do meu despertador tocar sou acordada por uma mãozinha pequena no meu rosto. Abro um sorriso antes de abrir os olhos.

- Bom dia mamãe - minha filha fala, ainda de pijama e com o cabelo completamente descontrolado na minha frente.

- Bom dia minha princesa - dou um beijo na testa dela.

- Queria saber se eu já posso abrir meus presentes...

- Claro que sim filha. Mas eu tenho uma ideia melhor, que tal você me ajudar a fazer o café da manhã e depois eu te ajudo a abrir seus presentes?

- Certo.

- Vamos escovar os dentes? - falo me sentando na cama.

Manu concorda e vamos escovar os dentes no meu banheiro mesmo. Aproveito o tempo escovando os dentes para terminar de despertar. Depois disso eu e Manu fomos fazer o nosso café da manhã.

Foi uma bagunça regada a panquecas e risos. Minha filha estava super feliz, mas sei que ela já estava morrendo de vontade de abrir os presentes. Acho que vou conversar com ela hoje. Só espero que ela não fique chateada comigo.

Levo minha filha depois do café para o meu escritório, que era onde todos os presentes estavam amontoados. Os olhos dela brilharam com a quantidade de coisas que tinham ali.

Eu ia entregando os presentes para ela e dizendo de quem era.

Bonecas, castelos, roupas, enfim foi uma infinidade de coisas que a Manu tinha ganhado. Ela vibrava com cada embalagem rasgada e me mostrava tudo com muita atenção. Estou segurando uma caixa rosa enorme e quando fui pegar o embrulho vi que era bem pesado.

O nome em cima da caixa me chama a atenção. Ricardo Medeiros.

- Mãe, essa caixa é enorme, quem mandou? - minha filha fala colocando a boneca que ela tinha ganhado de lado, prestando atenção ao grande embrulho em minhas pernas.

Amor na Segunda VoltaLeia esta história GRATUITAMENTE!