Manu dorme calmamente e espaçosamente do meu lado. A cubro com o meu edredom para que ela não sinta frio.

Me levanto tentando não mexer muito a cama. O quarto está quente, então resolvo desligar o aquecedor e logo o clima começa a ficar mais agradável. O céu ainda tinha algumas nuvens, resquícios da noite anterior.

O sol ameaçava sair detrás das nuvens e pela janela vi quando Maria já se aproximava da casa. Ela tinha que descansar mais, com certeza. Eu já estava completamente desperta e não tive coragem de acordar minha filha.

Minhas pernas estão bem quentes, então resolvo tirar a calça grossa do moletom de algodão que vestia e colocar uma calça de malha de academia e só por precaução resolvi por um sutiã. Depois de pegar um casaco fino eu abro a porta do meu quarto.

A casa está bem silenciosa, mas sei que Maria já deve ter chegado. Então desço e confirmo o que já sei. Maria já está na cozinha e o cheiro que já começa a sair de lá é divino.

- Bom dia Maria - ela se assusta comigo.

- Oh, bom dia dona Alice. Desculpe, é que não esperava a senhora por aqui tão cedo assim.

- Também tenho uma filha Maria, acordo super cedo, mesmo que seja para não fazer nada. Mania irritante e que sonho que um dia eu perderei.

- Também sonho com isso - ela ri. - Quer alguma coisa?

- Sem pressa Maria, eu aceito um gole de café quando tiver pronto.

- Certo.

- Maria, você tem que me ensinar como é que você faz aquele chocolate quente, meu Deus, se o Ricardo não tivesse aparecido ontem, tinha tomado aquela garrafa toda sozinha...

- A receita é simples, acho que o que faz diferença é o leite que eu isso aqui, acho que pode ser por isso.

- Deve ter alguma coisa especial.

- Acredito que não, mas fico feliz em compartilhar a receita. A senhorita quer fazer para o seu Ricardo é?

- Ah não, Maria, nós não estamos juntos... Eu e o Ricardo não somos um casal...

- Mil perdões Alice, é que eu pensei que por ele ser o pai da Manu e vocês vieram aqui sozinhos, eu pensei que... Ai que vergonha!

- Não Maria, está tudo bem. Não foi nada demais, erro compreensível.

- Mas eu coloquei as coisas de vocês no mesmo quarto!

- Foi?

- Ele não dormiu com você?

- Não Maria, eu não dormi com ele e nem vi as coisas dele no quarto que eu dormi. Ele deve ter tirado Maria.

- Não acredito que fiz isso sem ao menos perguntar.

- Tá tudo bem Maria. Todo mundo dormiu bem, tá tudo bem.

- Seu Ricardo vai ficar chateado comigo...

- Claro que não Maria, deixa de bobeira, Ricardo não é assim...

- Assim como? - Ricardo fala entrando na cozinha, secando seus cabelos com uma toalha. Ele tem um sorriso nos lábios e é assim que eu tenho a certeza que ele não está chateado com a Maria. Nem eu estou chateada com ela.

Ricardo está muito bem sem camisa e com o cabelo pingando. Seus pés descalços e um ar de homem do campo. Seu calção preto colado as pernas me fizeram querer corar e antes que eu o fizesse virei o rosto para longe da cena.

- Assim para acordar cedo - emendo logo isso para que não fique muito óbvio.

- Ah, é que eu esqueci de ligar o aquecedor e acordei hoje batendo os dentes, então resolvi dar uma volta no lago.

Amor na Segunda VoltaLeia esta história GRATUITAMENTE!