Célia negocia com Jacob

724 108 2
                                                  

Célia baixa a cabeça e a emoção toma conta, mas ela segura para não demonstrar que sentia falta dele e sorriu e transformou a emoção em alegria como se eles estivessem se falando.

_ Eu aproveitava alguns momentos e fugia para o escritório e fazíamos amor!... _ Ela ri e o olha. _ ele me colocava sentada na mesa, e a gente transava!...

_ Hummmmm!... Que emocionante!... Está vendo!?... Tudo tem um jeito!

_ Jacob!?... Eu quase morri na gestação de Jimmy!... Tenho medo que aconteça a mesma coisa!... _Ela faz um bico de preocupação.

_ Aqui temos ótimos médicos Beguzar e eu garanto que terá todos os cuidados que precisa!... Você vive como uma princesa e não precisa se preocupar.

_ você realmente quer um filho?!... _ Ela o olha sério.

_ Agora não!... Mas é bom termos esta conversa!... E quando estiver preparada quero que me conte!... _ ele sorri e embica no portão da casa e entra.

_ Quando vai me deixar dirigir?... Sinto falta de dirigir!

Ele continua sorrindo, mas não diz nada e entra na garagem particular, Jacob é dono de uma Ferrari incrível, preta e outra vermelha e em um canto um carro coberto que ninguém tirava da garagem, Célia sempre teve curiosidade para saber que carro era os dois desceram e ele a olhou e se apoiou no carro e perguntou.

_ Sente falta de dirigir?... Se comportaria se eu te desse um carro?... Não tentaria fugir ou despistar os seguranças se caso eu te der um?

_ Jacob?... Você me viu tentar fugir alguma vez, depois que cheguei aqui?... Andamos de iate e tive a chance de sumir entre os barcos e eu me mantive ao seu lado!... _ ela faz uma cara resignada.

Ele consente com a cabeça e vai até o carro no canto da garagem e antes de puxar a lona ele a olha e aponta para ela.

_ Confio em você!... Não me decepcione, por que sabe o que vai acontecer!... _ Ele puxa a lona e um Mercedes prata conversível surge diante de seus olhos.

_ Desde quando esse carro está aí?... _ ela chega perto sorrindo e surpresa.

_ É o carro de Beguzar e ela amava esse carro!

_ Não o quero!... _Célia fecha a cara. _ quero igual ao seu!

Jacob franze o cenho e fecha a cara e se vira para ela.

_ Tudo bem!... Eu aceito esse por enquanto, mas eu quero um prata, igual ao seu... Já que sou sua esposa e milionária e pelo que percebo Beguzar tem ótimo gosto para roupas, maquiagem e tudo que é de bom!... Quero um carro igual ao seu e não aceito um não como resposta.

Jacob passa a mão no rosto e respira fundo, a Ferrari é rápida demais e podia sumir das vistas dos seguranças em segundos, andou de um lado para o outro e Célia cruzou os braços e esperou ele falar.

_ Não posso te dar um carro deste Beguzar!... É rápido demais e você pode sofrer um acidente!... _ Ele cruza os braços.

_ Eu sei dirigir Jacob!... E nunca passaria do limite da estrada... Não quero morrer e também não quero fugir se é esse seu medo, agora eu vou até o fim como Beguzar e quero ver no que vai dar toda essa bagunça que você me meteu... Como estou morta... Não posso mais aparecer para a minha família... Quero e zelo pela vida do meu filho e espero que ele seja feliz, quero que ele tenha uma vida e acho que logo Yan arrume outra pessoa e vai se esquecer de mim!... _ Ela se aproxima dele e passa a mão em seus cabelos e o beija. _ Você me ensinou a te amar... Mudou muito por minha causa, mandou aquelas mulheres embora e devolveu a vida para elas e agora me surpreende pedindo um filho!... _ Ela engole em seco, como era difícil engana-lo assim, mas precisava usar sua artimanha para fazê-lo acreditar em seu amor.

_ Continuo a não acreditar em você!... _ Ele fala sério.

_ Tudo bem!... _ ela o larga e dá as costas e entra em casa e segue para o quarto.

_ Espere?!... _ pede ele a alcançando. _ Te dou o carro, mas só quando o verão chegar, tenho medo que venha outra nevasca e se perca na estrada e se mate.

_ Claro!... Você precisa manter minha integridade para ter direito a fortuna do meu pai!... _ Ela o encara e Jacob cai na gargalhada. _ Se ele morrer?... Como devo me comportar diante da família?

_ Você não tem família!... Apenas sua madrasta e seu pai!... _ ele a puxa para o quarto e a Poe sentada na cama. _ Sandy é sua madrasta e Sabe que se seu pai morrer, ela é um alvo fácil e sabe que vai morrer justamente para não ter direito a fortuna... Você e ela não se falam, você tem ódio dela... _ ele engole em seco.

_ E por que eu tenho ódio?!... _ Célia entorta a cabeça, quanto mais escutava, pior ficava.

_ Você nos pegou em um momento muito intimo!

_ Eu falo que você é doente!... E você não acredita em mim!... _ Ela se levanta da cama e pela primeira vez sente ciúme e aquele sentimento a incomoda. _ Como pode trair seu sogro e sua esposa?

_ Foi um momento... Que não sei descrever!... Foi mais forte que eu!... E ela é cinco anos mais velha que você!... _ ele a encara e sorri achando graça.

_ E quantos anos eu tenho?... _ Ela volta. _ Por que eu de verdade tenho 30 anos.

_ Você tem 27 anos e completará 28 agora no dia 26 de março!... _ Ele a puxa para se sentar na cama novamente.

_ Até que não é muita diferença, dá para compensar!... _ Ela fica pensativa. _ Então pode me dar uma Ferrari de presente no meu aniversário!... _Célia abre um largo sorriso.

_ Você é insistente mesmo!... _ ele ri.

_ Claro!... Beguzar é teimosa, geniosa, briguenta, sex pelas roupas e maquiagem que usa, não é de falar muito, gosta de Nova York, odeia o pai e a madrasta e quer que eles se danem, nada diferente em minha opinião, só as roupas e a maquiagem que acho um exagero, mas posso mudar isso ao longo do tempo conforme minha idade vai passando. _ ela tomba a cabeça de um lado para o outro e sorri. _ Vou juntar o útil e o agradável e esperar para que morra antes de mim, assim fico com o que é seu e do meu papaizinho querido!... _ Célia pisca para ele e sorri.

Jacob cai na gargalhada e a agarra e a deita na cama e a beija.

_ Quero a Ferrari e quero um iate novo, aquele está velho e vi um no ancoradouro a venda pode colocar o nosso a venda e comprar um mais moderno.

_ Você ficou louca?... _ diz ele a encarando ainda deitado sobre ela.

_ Não meu amor!... Eu só quero um iate mais novo e que eu possa tomar banho de sol enquanto você pilota, ele só é um pouco maior que o nosso!... E não vai ser difícil de vender!

_ Mais alguma coisa?... _ ele apoia o cotovelo na cama.

_ quero um cartão de crédito com limite alto e quero fazer comprar e quero dois seguranças sempre comigo e não quero que deixem se aproximar de mim e quero um professor que me ensine a ler e escrever e pronunciar com perfeição a sua língua... Vamos brincar de Beguzar!... _ Ela ri gostosamente.

_ Você está me saindo muito cara!

_ Mas você pagou caro para isso meu bem, agora aguente!... Junto comigo vem uma fortuna, desde que ela seja honesta e limpa!

_ Honesta e limpa?!... Até parece que não sabe por que seu pai está preso.

_ Juntos vamos transformar essa fortuna suja em um negócio limpo, ainda mais se Beguzar era uma mulher de princípios e não gostava do que o pai e o marido faziam... Posso sim transformar tudo isso em um império digno... Deixe-me administrar assim que ele morrer ficará do meu lado e observará...

_ Não posso deixar que dirija os negócios de seu pai!

_ Pode sim!... Posso ser a segunda cabeça, você faz a parte de que controla, mas a ultima palavra será minha!... E verá que transformo tudo ilegal em legal!... _ Ela sorria sem parar e o agarra com as pernas e mexe o quadril e se esfrega nele.

_ Hummmmmmmm... O que você quer?... _ Ele a beija malicioso, sua voz sai roca.

_ Quero você!... Tire a roupa para mim!... Me deixa te ver por inteiro!..._ ela fala baixo e em seu ouvido senso sensual.


Célia (Volume 2)Onde as histórias ganham vida. Descobre agora