Célia tenta convencer Jacob a se entregar

543 92 0
                                                  

Jacob abre os olhos e a lágrimas descem e Célia continua segurando seu rosto.

- Você tem uma saída para se manter vivo e poder desfrutar da vida da sua filha... Tem que se entregar as autoridades americanas, negará a morte desta menina, você cumpre os trinta anos que lhe foi concedido...

Jacob não aceita e tira seu rosto de suas mãos e balança a cabeça em negativa e se encosta novamente no sofá e a olha e a perna não para quieta, está nervoso e ansioso.

- Vão te pegar da mesma forma Jacob!... Não tenho como te livrar disso!... Se ficar, será prisioneiro dentro desta casa... Me verá viajar o tempo todo e Nilufer irá comigo e ficará sozinho aqui e corre o risco de descobrirem e te pegarem... A sua pena vai aumentar e pode ser que não se livre da cadeia...

- Prefiro ficar aqui e te esperar voltar com nossa filha!...

- Você corre o risco de perder a vida Jacob!... A organização não está de brincadeira... Eu mando na organização, mas não mando em seus desafetos Jacob... Sabe do que estou falando!?... - Célia está ajoelhada a sua frente e o olha em lágrimas e as enxuga.

- A morte é só uma passagem Beguzar!... - Ele funga com raiva e a encara.

- Tudo bem!... - Os dois ficam calados.

- Quero que procure uma parteira que venha aqui e cuide do seu parto Beguzar!... Eu verei minha filha nascer!... Depois eu decido o que farei!... Se aceito em me entregar ou... Decido morrer por vocês!

Célia o olha preocupada e volta a chorar e diz em prantos.

-Eu não quero que morra Jacob!... Eu prefiro me mudar para os Estados Unidos e poder ir te ver sempre e levar nossa filha para te ver!... Mas por favor?... Não morra!...

Célia não consegue parar de chorar e Jacob se levanta e vai até ela e a pega no colo e a leva para a cama e a deita e se deita ao seu lado e a puxa para um abraço e fica com ela até que adormeça. Seus pensamentos estão desordenados, seu lado animal quer aflorar e dar-lhe usa surra só por insinuar de que tem que se entregar e ao mesmo tempo deveria fazer isso, queria ser um novo homem, esquecer de tudo que passou, a traição de paternidade de Keren que prometeu cuidar dele como um filho e no fim se tornou um escravo de seus mandos e desmandos e sexual, ele sente um arrepio ao se lembrar daquele homem o algemando e abusando dele e deixou que outros fizessem a mesma coisa, só se livrou depois de dois anos quando confessou que transava com Beguzar desde os quinze anos dela e tinha fotos dele fazendo sexo com outros rapazes e foi aí que mudou o jogo e passou a comandar a través de Keren a organização, mas aí seu psicológico já estava destruído e odiava qualquer um que o tocasse por qualquer coisa, mas Célia era diferente, queria e gostava quando o tocava, ela não passava dos limites e apenas segura em seus braços, não o toca e nem desliza suas mãos pelo seu corpo e isso era um alivio, fechou os olhos e se lembrou do dia que mexeu em seus cabelos, foi tão inocente que não pode conter sua raiva e a puxou para o quarto, queria puni-la por querer ser amorosa, como se arrepende de tudo e diz baixinho.

- Sou tão covarde que nem a minha própria vida consigo tirar!... Deveria fazer isso por vocês!... - E a aperta nos braços.


Célia (Volume 2)Onde as histórias ganham vida. Descobre agora