Jacob e suas ameaças

1K 125 9
                                                  

Jacob se aproxima e a abraça e Célia chora mais ainda.

- Você é minha e sabe disso e não devia ter feito o que fez quando fui preso!... Devia ter ficado onde estava... Em silencio!... Morta!... - Ele tira suas mãos de seu rosto. - Olhe para mim!?... - Ele ordena e Célia o olha ainda chorando.

- Mantenha suas mãos calmas e não tente nada... Pois vai se arrepender e muito!... Tenho homens vigiando e no meio social de seu marido... E se tentar me matar... Seu filho morre!... Seu marido morre!... - Ele serra os dentes e a puxa para fora do quarto e atravessam um longo corredor.

- Este é meu quarto!... - Ele a Poe para dentro.

Célia olha em volta, era maior ainda e a cama era enorme e redonda, mas também tinha dossel e cortinas de véu escuras e ele a puxa para a cama, Célia luta para não ir, mas a dor por causa da cirurgia a faz aceitar e ele a Poe deitada na cama, e se deita sobre ela ainda de roupa para seu alivio, Jacob segura seu rosto em suas mãos carinhosamente.

- Eu sei tratar bem uma mulher na cama e você merece ser tratada muito bem!

Célia segura suas mãos, tremia de medo e seus olhos estavam arregalados e ele a beija, Célia faz cara de nojo e rejeita seu beijo, ele pega em seu queixo e aperta.

- É bom se comportar!... - Ele a encara, seus olhos castanhos se dilatam de raiva e volta a beijar Célia que responde ao beijo enojada, mas por medo responde. - Assim é melhor!

- Você dorme aqui e eu no outro quarto, é isso?! - Pergunta Célia com a voz embargada.

- Sim!... Mas sempre que eu disser que quero você pronta!... Quero você aqui, de banho tomado e vestida com uma das camisolas que comprei para você... Tem roupas lindas para vestir... E se comportar, te levo para passear e conhecer a cidade e quem sabe andar de Iate!

- Jacob!... Isso é loucura!?... Você pode ter a mulher que quiser com toda a fortuna que tem!... Deixa-me voltar para minha casa!... - Por favor?

- Pare de falar Berguzar... Você me pertence agora e paguei caro por você!... E você devia ter pensado nisso antes de se casar!

- Você estava preso!... - Ela volta a chorar.

- Shhhhhhhhhh!... Agora fique quietinha!... Eu quero ver você!

Jacob se senta sobre ela e puxa sua camisola e a tira, desabotoa o sutiã cirúrgico e puxa o ar pela boca, Célia chora mais ainda e queria um buraco para se enterrar nele e nunca mais sair.

- Ficaram perfeitos Berguzar!... Você precisa se ver no espelho... - Ele a puxa para ficar em pé e a leva para frente do espelho e fica a traz dela, Célia se olha ainda em lágrimas. - Pare de chorar... Você é forte e não combina com você esse choro!... - Ele Poe as mãos em seus ombros. - O que achou?

- São grandes!... - Ela tenta tocar neles, mas suas mãos tremem tanto que mal consegue manter elas paradas.

- E veja isso!... - Ele pega outro espelho e mostra suas costas.

Célia abre a boca assustada e maravilhada e se olha espantada.

- Você mandou fazer uma tatuagem nas minhas costas?!... Ela é enorme e cobre tudo!... Nunca pensei nisso!... É... Lindo!

- É uma serpente!... - Ele sorri.

Célia olha bem o desenho e sorri, nunca teve coragem de se tatuar, mas aquela estava linda... Ia desde o bumbum e subia até suas costas fechando toda, não se via mais as marcas que ele deixou no passado.

- Pelo jeito gostou mais que a prótese!?... -pergunta ele animado.

- Estou sem palavras!... Eu sempre achei lindo quem tinha tatuagem, mas eu mesmo não tinha coragem de fazer!... - Ela se abraça. - Estou com frio?... - Falou com a intenção de receber a camisola, mas acabou se traindo.

Jacob a puxou novamente para a cama e levantou o edredom e mandou que se deitasse.

- E o sutiã de sustentação?... Deveria vesti-lo!... - diz ela ainda sentada na cama.

- Tem razão!... -Ele pega e a entrega e Célia veste rapidamente.


Célia (Volume 2)Onde as histórias ganham vida. Descobre agora