Sammy e Célia conversam

599 93 0
                                                  

Célia faz um sinal e pede mais um prato para Sammy, os dois ficam calados se olhando, ele sorri, mas Célia está séria e não queria conversar, mas aceitou a companhia por se sentir muito sozinha e Engin entra com o celular na mão e fala em seu ouvido, Célia olha para Sammy e pega o celular e Poe no ouvido e pigarreia, alguém fala do outro lado da linha, os dois ficam se encarando, mas ela não responde e apenas desliga o celular e devolve para Engin que se retira na mesma hora.

- Problemas!?... Espero que não seja por minha causa!?

- sim!... É por sua causa!... - Ela sorri. - Não se preocupe, está mais seguro em minha companhia do que lá fora dentro do furgão branco parado em frente da casa do meu querido papaizinho.

Sammy começa a rir e olha para a janela e as pessoas que passavam pela calçada e volta sua atenção a ela que agora come devagar e teve que admitir, Célia parecia sempre faminta e devorava tudo em menos de cinco minutos, ela não, é delicada e pega um pouquinho só e mastiga totalmente diferente.

- Definitivamente você não é Célia!

Ela para e o olha e Poe o garfo no prato para descansar e o encara.

- Sabe por que acham que essa garota é parecida comigo Sr. Sammy?!

Sammy desfaz o sorriso e a olha desconfiado.

- Por que ela era minha irmã gêmea... Mamãe e papai se separaram quando éramos bebês... Cada um ficou com uma menina, eu sempre soube dela, mas ela nunca soube de mim, por que no mínimo minha mãe tinha medo do monstro do meu pai... Ela sim foi feliz em ter sido criada bem longe daqui, deste inferno e dessa gente que... - Célia se cala, seus olhos estão com raiva e cheios D'água, ela seca o rosto com raiva.

- Você descobriu isso hoje!?

Célia ri em desdém e o olha, mas para de comer novamente e olha para fora.

- Não Senhor!... Eu sei disso há muitos anos!... Mas nunca quis admitir para mim mesma que tinha uma irmã que vivia feliz em algum lugar deste mundo!... E olha só o que me aconteceu?... Dei de cara com o marido dela... Um homem amável, carinhoso, cheio de amor... Ela deve ter sido muito feliz ao lado dele... Deve ter sido amada como todas as mulheres deveriam ser... - Ela deixa as lágrimas escorrerem. - Eu não tive essa sorte... Meu pai me odiava, me casei obrigada com um monstro que... - ela se cala novamente e o olha.

- Tem a chance de mudar tudo isso Beguzar!... - Ele sorri. - Entregue seu marido, nos de o endereço... Você se livra dele e dos maus tratos e ganha Yan o viúvo de sua irmã!

- Não posso Sr. Sammy!... Mesmo que isso seja uma tentação... Mas antes tenho que acabar com ele financeiramente para poder entrega-lo!

- Como acabar com ele financeiramente?... - Sammy fica apreensivo.

- Se eu o manter com as propriedades e tendo dinheiro... Ele vai ser preso várias vezes e fugirá várias vezes!... Dinheiro compra tudo, até a liberdade!

- Concordo com você!...- Ele volta a comer, Célia apenas o observa. - Vai me entrega-lo quando atingir seu objetivo.

- Vou pensar no seu caso Sr. Sammy!... Talvez eu entregue aos leões famintos.

Célia se levanta e deixa sobre a mesa uma nota de 100 US$ e se inclina até perto de seu rosto e o encara nos olhos.

- Tenho um ótimo dia Sr. Sammy!

Sammy se arrepia com sua fala rouca e sensual e engole em seco e sua virilha da sinal de que se excitou, ela se levanta devagar e sai deixando-o paralisado e volta a olhar toda aquela comida sobre a mesa, agora estava explicado por que as duas eram parecidas, eram irmãs, mas Gaby nunca disse uma palavra sobre isso e olhou para traz novamente e voltou a olhar para a comida, ela só deu duas garfadas e largou tudo lá.


 

Célia (Volume 2)Onde as histórias ganham vida. Descobre agora