Um ano se passa

668 102 10
                                                  

Um ano se passa e Jacob vai ao quarto de Célia e a olha dormir, seus cabelos agora estavam mais claros e manteve o cumprimento e os cachos, as unhas estavam bem feitas e ela desperta lentamente e o olha e sorri.

- Faz tempo que está aí?!... - Diz ela na linguagem turca abolindo completamente o inglês.

- Tem um tempo!... - ele respira fundo e ela percebe que algo de errado tinha acontecido e se senta na cama.

- O que aconteceu?!... – Ela respira fundo.

- Seu pai acaba de falecer!... - ele engole em seco, parecia triste.

- Que descanse em paz!... - Célia suspira, agora iria começar o jogo.

- Sua mãe no Brasil está à beira da morte e está vivendo em um asilo!

Célia leva a mão à boca e começa a chorar e se levanta da cama e vai até a janela e a neve caia fina e lenta lá fora e ela se agarra aos cabelos e grita de desespero e chora e escorrega para o chão.

- Minha mãe!... Minha mãe não Deus!... - Ele se encolhe no chão. - Não!... Mamãe, mamãe!

- Quero propor algo!... - Jacob continua no mesmo lugar sentado na cama. - Te levarei para o Brasil e deixarei que veja sua mãe, mas tem que prometer que irá ao enterro de seu pai e fará tudo que combinamos.

Célia levanta a cabeça e vai até ele de joelhos por não conseguir se levantar do chão e agarra em sua camisa e em choro.

- Eu prometo!...Eu juro que vou fazer o que quer!... - Ela funga e deita a cabeça em seu colo e ele acaricia seus cabelos. - Quero ver minha mãe!... Quero me despedir dela!

- O corpo do seu pai chega a três horas!... Quero que se vista e vamos recebê-lo no aeroporto, mas não posso descer e nem aparecer, será fotografada Beguzar, se mantenha firme e não responda nada, como você sempre viu nos vídeos, Beguzar odeia falar com jornalistas... Talvez sua madrasta esteja lá e vai querer falar com você e pedir perdão, vai implorar para poupar a vida dela, não fale com ela, não dirija a palavra... Você a odeia por que fui para cama com ela... Entendeu?!

- Entendi!... Eu já a odeio antes mesmo de conhecer pessoalmente!... - Célia seca o rosto e o olha. - Estou grávida Jacob!...- As lágrimas voltam a escorrer.

Jacob deixa o semblante carrancudo e dá lugar ao de agradecido e surpreso e a puxa para se sentar em seu colo e beija seus cabelos e a abraça forte e funga.

- Que noticia boa!... Agora não sei se devo deixar você ir ao aeroporto e passar nervoso... Deveria ficar em repouso... - Ele beija seus cabelos e Célia chora sem parar. - Shhhhhhhhhh!... Está tudo bem!... Não vai perder desta vez... Vamos fazer tudo certo!... Vou escrever uma nota explicando suas condições médicas...

- Não!... Eu vou e só quero que peça para os seguranças a manterem longe de mim... Assim não fico nervosa e sei vestir bem a vida de Berguzar... - Ela o olha. - Estou com medo!... - Ela o aperta nos braços.

- Não fique!... Vou cuidar de você!

Jacob a embala nos braços e fica com ela até se acalmar. Célia pensa na mãe e por que foi parar no asilo e fica intrigada, Jacob nunca mais falou em matar Yan e Jimmy e algo aconteceu ou os perdeu de vista e limpou o nariz e se levantou e foi para o banheiro e tomou um banho rápido e se olhou no espelho e passou a mão pela barriga, amava aquela criança, mas não era o pai que queria para ele e se apoiou na pia e seu pensamento tomou outro rumo, Yan abandonou sua mãe e sumiu, era a única explicação para estar no asilo e tomou ódio para si dele e serrou os punhos e saiu do banheiro e puxou um vestido preto muito elegante e o vestiu e calçou os sapatos de salto e puxou um lenço preto e Al-amira preto e o vestiu e ajeitou na cabeça e fez à maquiagem, tudo em silencio e Jacob ficou sentado na cama observando e acariciando o pelo do gato.

- Por que Yan abandonou minha mãe?!... - Pergunta ela passando base no rosto.

- Ele vendeu a fábrica e sumiu levando o menino com ele... Não ficou nada para traz!... Nem a casa ele manteve!

- Como pode fazer algo assim com minha mãe!... Eu achei que a amava e não viraria as costas para ela!... Mas pensei errado!... - Ela passa blush e pega o batom e passa na boca. - Eu confiava nele por completo, nunca pensei que faria isso.

- Mas fez!... E não se preocupe!... Estou cuidando dela!... - Ele respira fundo.

Célia para de passar lápis no olho e o olha surpresa.

- Como cuidando dela!?

- Eu a mudei de clinica para uma mais cara e que tem todos os recursos como fisioterapia, banho de sol, terapia e atividades e nesses seis meses ela vinha bem, mas a uns quinze dias ela parou de falar e agora não sai da cama, está muito debilitada e achei que se você for vê-la fará bem as duas!

- Yan a colocou em qualquer buraco e levou todo o dinheiro?... É isso que está me dizendo Jacob?!... - Ela se levanta assustada.

- Sim!... - Ele baixa a cabeça.


Célia (Volume 2)Onde as histórias ganham vida. Descobre agora