Capítulo 28

4.8K 476 403
                                    

Já ouviram aquela frase "Quem é vivo sempre aparece", ela pode se usada agora kkkk.

Não vou fazer um texto sobre a minha demora mas, aqui estão algumas causas delas: 1- Estou sem celular 2- fiquei um tempão sem internet 3- Minha mãe praticamente sabe que eu sou bissexual e 4- Consegui não faz uma semana me computador de volta. Um pouco complicado de voltar, né?

Queria agradecer a todos vocês pelos mais de 10K de visualizações e pelos vários comentários, vocês são minha motivação pra terminar essa fic. 

EU AMO TODOS VOCÊS SEUS EMBUCETES

Chega de enrolação e vamos para o capítulo!


Pov Lalisa

-Vamos, Lalisa. Levante dessa cama. - Pela milésima vez, Jisoo havia pedido para eu levantar da cama na qual eu passei o dia todo embaixo das cobertas.

-Não. - Voltei a cobrir minha cabeça com o edredom já que Jisoo tinha feito questão de puxá-lo.

-Como você quer que a Rosé te perdoe se nem sair do quarto você quer? Tente falar com ela de novo, não desista.

-Não, eu parei de correr atrás, e outra, ela não quer que eu fale com ela, vou respeitar o espaço dela. - Ouvi Jisoo suspirar.

-Tudo bem, eu vou trazer algo pra você comer. Já faz horas que você não come nada. - Senti a cama balançar e logo barulho de porta batendo.

Suspirei descobrindo meu rosto para tomar ar. Fiquei encarando o teto onde várias estrelinhas e uma lua que brilham no escuro estavam grudadas ali, lembrei do dia em que Rosé havia me ajudado a colocá-las. Foi um sacrifício pois éramos baixinhas e não alcançávamos direito, então pegamos uma cadeira e colocamos em cima da cama, o que foi uma péssima ideia. Rosé subiu na cadeira para grudar as estrelinhas enquanto eu segurava a cadeira pra ela não cair, mas o meu eu de 10 anos era muita fraca o que resultou em nós duas caídas no chão e Rosé com um braço quebrado. Durante as semanas que ela ficou com o braço engessado eu mimei muito ela e ficava preocupada com qualquer coisa.

Talvez desde daquela época eu já sentia algo por ela mas não sabia, eu só precisava de um gatilho para descobrir meus sentimentos pela minha melhor amiga, que foi com aquele maldito desafio.

-Terra chamando Lalisa. - Fui interrompida dos meus pensamento com Jisoo estalando os dedos na minha frente. Pisquei algumas vezes e a encarei, ela segurava uma lasanha de microondas logo ouvi minha barriga roncar. - Uh, parece que alguém estava com fome.

Me sentei na cama, encostando na cabeceira e ChiChu fez o mesmo se sentando ao meu lado para podermos comer juntas.

-Trazer lasanha é golpe baixo. - Disse de boca cheia.

-Sabia que você não iria resistir. - Vi ela pegar uma garfada da lasanha e levar até a boca. - Você estava viajando legal quando entrei, no que pensava? - Olhei para cima e vi ela fazer o mesmo.

-Estava lembrando no dia que Rosé me ajudou a colocá-las. - Apontei para as estrelas. - Acho que eu sempre fui apaixonada por ela... - Suspirei e olhei para baixo. - Acho que uma parte de mim sempre vai ser apaixonada por ela por mais que eu tente não ser. Mas agora ela me odeia. - Balancei a cabeça.

-Ya, ela não te odeia, no máximo ela deve estar só chateada. Você vai ver, logo vão estar se falando de novo. Vocês não conseguem viver longe uma da outra.

-Eu não consigo, já ela...

-Não pense assim, Lisa. Sabe que Rosé também não consegue viver sem você.

My secret admirer is my BFF?  (Chaelisa)Onde as histórias ganham vida. Descobre agora