Capítulo 15

4.8K 485 379
                                    

Pov Lalisa

-Qual é Lisa, você vai passar a tarde toda mofando em casa? Vem pra cá.

-Ah não, eu tô com muita preguiça, hoje o treino foi puxado.

-Anão é um cara bem pequeno.

-Engraçadinha.

-Não me faça ter que ir até aí te buscar.

-Estou te esperando então, tchau, tchau.

-Mas o que... Lalisa Manoban! - E desliguei a chamada. Sei que fiz ela ficar puta por ter que fazer ela sair de casa só pra vir me buscar sendo que eu poderia ir de moto ou até mesmo a pé. Mas eu adorava encher o saco dela.

Essa tarde fazia um friozinho em Seoul, o que faz minha preguiça aumentar o dobro, eu só queria poder ficar na minha cama embaixo das cobertas enquanto me encho de besteiras e assisto netflix. Mas o que eu não faço pela Rosé? Eu sou completamente trouxa por ela.5

Me levantei da cama e fui até meu armário colocando um moletom grosso e um cachecol. Calcei meus coturnos e coloquei uma touca preta, peguei meu celular e o guardei no bolso traseiro da minha calça. Desci as escadas e me joguei no sofá a espera de Rosé, pouco tempo depois a porta da frente foi escancarada e uma Rosé com uma cara não muito boa apareceu.

-Eu não acredito que você me fez vir até aqui. - Falou cruzando os braços.

-Oi pra você também. - Me levantei e fui em sua direção parando na sua frente, lhe dei um sorriso e beijei sua bochecha demoradamente.

Impressão minha ou ela ficou corada?

Passei por ela mas antes que eu conseguisse chegar na porta ela segurou meu braço fazendo eu me virar pra ela, nossos corpos se chocaram e nossos rostos ficaram a centímetros de distância. Sentia sua respiração bater contra meu rosto, desci meu olhar para seus lábios, eles pareciam tão convidativos e.... beijáveis que não pensei duas vezes antes de selá-los. Eu com certeza nunca me cansaria de beijá-la, ela tinha o melhor beijo do mundo, eu me sentia nas nuvens. Assim que separamos nossos lábios ela me deu um tapa no rosto.

-Lalisa acorda! - Gritou.

Acordei assustada e olhei para os lados, suspirei aliviada ao ver que ainda estava em casa. Olhei pra frente e vi Rosé me encarando com aqueles olhos de chocolate, mas logo senti minha bochecha arder.

-Porra! - Passei minha mão pela bochecha que com certeza deve estar vermelha agora.

-Nós estávamos conversando pelo telefone só faz 10 minutos! Como você conseguiu dormir em tão pouco tempo?! Sua baleia encalhada! - Droga, então foi tudo um sonho. Um sorriso involuntário apareceu ao me lembrar do sonho. - Do que você está rindo?

-Do sonho que tive antes de você interromper. - Logo ela me olhou com uma cara maliciosa.

-Hm... sonhou com quem hein? - Bipolaridade? Talvez..

-Uma pessoa aí... a gente não ia pra sua casa? - Falei me sentindo desconfortável com o rumo da conversa e me levantei do sofá. Fui até a porta e Rosé veio logo atrás.

-Essa pessoa seria a Jinny? - Tranquei a porta e fui em direção ao carro dela.

-Apenas dirija Park, está muito frio pra ficar aqui fora conversando. - Entrei em seu carro e coloquei o cinto, observei ela fazer o mesmo.

-Por que você sempre foge do assunto?

-É complicado Chae...

-Tudo bem, eu vou estar aqui quando você quiser falar. - Ela segurou minha mão que estava sobre minha coxa e deu um leve aperto.

My secret admirer is my BFF?  (Chaelisa)Onde as histórias ganham vida. Descobre agora