XIX - Lucca Shade

221 13 3

No momento que aquela fera apareceu todos já ficamos de prontidão pois sabíamos que pela frente viria outra luta, vi Matthew, Evelyn e Coralinne pegarem suas espadas, Peter seu arco e Melissa se afastando, como eu não tinha nada com o que lutar, fui encarar o monstro corpo a corpo mesmo, já sabia que não iria conseguir sozinho, mas os outros estavam lá para ajudar.

Todos começaram a correr na direção do monstro, ele deu um rugido e mais monstros como ele só que pequenos começaram a surgir, o mesmo retirou de suas costas uma grande espada de pedra que emanava uma brilho que se assemelhava a chamas. Do topo de uma árvore, Melissa fazia movimentos com a mão, uma névoa caiu sobre o local.

Parecia que aquilo já era combinado, os outros monstros foram na direção do Peter e dos outros, e adivinha quem ficou pra mim? Isso mesmo, a gárgula, o grandalhão, mas fazer o que né.

Ele rugiu e veio em minha direção, fiquei me tremendo de medo, aquilo era muito gigantesco. Se consegui acertar dois golpes nele foi muito, senti minha cabeça ser envolvida pela mão da gárgula, que apertou-a e me lançou para longe.

Algo rasgou minhas costas, abri meus olhos e vi que fui jogado em uma pedra, caí para o lado direito, me virei e levantei-me rapidamente na tentativa falha de fugir, mas senti o chão estremecer e o joelho da gárgula me acertar na barriga e me lançar para longe novamente.

Meu rosto se chocou contra o chão e minha visão escureceu, eu precisava resistir, mas provavelmente não conseguiria.

Senti os braços da gárgula me levantar pelo pescoço, tentei olhar para ele, mas não conseguia enxergar nada, eu apaguei por um instante, de repente abri os olhos e me agitei, ainda estava sendo segurado pela gárgula e meu corpo estava completamente dormente.

Nesse momento eu já não sabia mais o que falava, eu escutava mas não compreendia, palavras estranhas saíam de minha boca, minha visão foi clareando até estar totalmente reestabelecida. Me veio uma vontade lá do fundo de gritar, e assim fiz, ao meu lado apareceu uma luz branca brilhante, começou a tomar forma e virou um corpo de uma menina, era Melanie, ela olhou para mim, deu um sorriso e foi encolhendo e mudando de forma até uma foice preta com várias cores em sua extensão aparecer em minha mão.

Instintivamente dei um golpe no braço da gárgula que me soltou, eu caí no chão e por muito pouco a espada da gárgula não me consumiu, novamente ele me pegou com suas mãos, não sei o que aconteceu, senti meu corpo mudando, depois de poucos segundos, eu era um ogro do tamanho da gárgula, não sei como, mas sei que gostei muito.

Eu o ataquei com minha foice, ele começou a se desintegrar enquanto gritava, finalmente consegui derrotá-lo, olhei ao redor e vi Evelyn levar uma facada no braço, ela desesperada com lágrimas nos olhos, apertava sua mão contra seu braço, em uma tentativa vã de não deixar o sangue esvair. O desespero aumentava quando ela via seu inimigo bruto se aproximar. Felizmente, Matthew estava lá para ajuda-la. Pouco a pouco os monstros foram eliminados até que não sobrou nenhum.

Lentamente, Evelyn se aproximava de um riacho ali perto. Chegando lá, se ajoelhou, ergueu suas mãos, fios de água acompanhavam os movimentos suaves de suas mãos, a água refletia a luz âmbar do pôr do sol e cintilava em cores vibrantes, Evelyn moveu a água até encostar em seu braço ferido, magicamente, o sangue foi sumindo e o corte cicatrizando. Ela levantou-se aliviada e veio em minha direção.

-Deixa eu te ajudar com esses ferimentos- Falou com calma.

-Tudo bem- Respondi

Ela repetiu os mesmos movimentos de antes e a água veio flutuando até nós. Quando a água tocou em minha pele, senti um frescor tomar conta de meu corpo, aquilo me fazia bem, quando abri meus olhos, já não existiam mais machucados.

The KingdomsOnde as histórias ganham vida. Descobre agora