L1|| XXXI. Flores

1.7K 259 406

Amasso algumas flores que colhi aqui mesmo em Adaris para retirar delas seus extratos

Ops! Esta imagem não segue as nossas directrizes de conteúdo. Para continuares a publicar, por favor, remova-a ou carrega uma imagem diferente.

Amasso algumas flores que colhi aqui mesmo em Adaris para retirar delas seus extratos. Após saber do ataque a Verena decidi re-estocar no elixir.

Nem reparei que estou amassando com tanta força. O estresse e a pressão dos acontecimentos recentes subiram a minha cabeça. Parece que quando dou um passo a frente, o jogo muda e eu tenho que retornar dez outros passos.

Por quê atacaram Verena? Alexis disse que um tal de "Nássera" mandou. O que é isso e de onde? E mais importante, como é que sabe do que aconteceu com Igor? Quem mais sabe do que fazemos no mundo humano? Isso é péssimo, uma vez que há possibilidade de Garou acabar descobrindo também...

Fecho meus olhos, frustrada. Esse é um dos motivos de deixar todos os voluntários no anonimato!

Falhei! Mais uma para minha lista... não consigo proteger nem as poucas pessoas a minha volta, como é que vou salvar Adaris??? Chuto a pequena mesinha de madeira a minha frente num ataque de raiva, minhas flores e seu extrato neón se espalham pelo chão.

— Que droga! Não consigo fazer nada direito! — Grito comigo mesma, arfando e sentindo meu sangue esquentar, queimar sob minha pele. Estou fora de mim e em meus ouvidos só retumbam ecos de minha revolta com minha própria incompetência.

Eu nunca me senti assim.

Olho para meus punhos. Estão cerrados, minhas unhas fincando minhas palmas. Minhas veias pulsam visivelmente sob minha pele. Negras, formam o mesmo intrínseco desenho de antes mas agora maior, se espalhando pelos meus dois braços.

Isso... não é normal... essa... não sou eu.

Tento me acalmar. De subito me lembro das palavras da Sombra: "Ou eu domino a magia ou ela me domina."

É isso o que está acontecendo? A magia está me mudando, me deixando mais insegura, mais irritada? Não que a situação não ajude a me frustrar, mas nunca perdi minha calma assim.

Me sento ao chão pois preciso me controlar.

Essa magia negra deve exponenciar o que sinto de negativo, se aproveitando desses sentimentos ruins e os reforçando, usando-os para crescer dentro de mim. Quanto mais odiosa eu estiver, mais controle de mim essa magia terá. E quanto mais controle de mim ela tiver, mais revoltada eu vou ficar!

Nunca tive que me "controlar". Eu não sei nem por onde começar, mas preciso me acalmar. Não tenho medo de me perder, mas não vou me perder sem antes conseguir o que quero. 

Não antes de encontrar Mabel.

Não antes de encontrar Mabel

Ops! Esta imagem não segue as nossas directrizes de conteúdo. Para continuares a publicar, por favor, remova-a ou carrega uma imagem diferente.
ADARISOnde as histórias ganham vida. Descobre agora