L1|| Perdoe-me a Interrupção

1.3K 249 75

Introduções são tão... tediosas. Certamente já ouviu falar de mim.

Cali já deve ter lhe contado sobre nosso pequeno trato. Deve ter lhe dito algo sobre a minha forma vaporosa, ou contado sobre meus afiados dentes em sua pele.

Confesso mordê-la com mais força que o necessário. Não me julgue, quando tiveres uma fada em sua boca, me entenderá.

Ela me chama de "sombra".
Sombra.
Impossivel não rir desse apelido.

Eu tenho um corpo. Mais de um, na verdade. Todavia, meu verdadeiro corpo (que também é meu favorito por ser minha forma mais bela), está desaparecido.

Para ser mais precisa, meu corpo foi retirado de mim. Sequestrado. Está com... não. É melhor não dizer. Tenho para mim que dizer seu nome só me amaldiçoa mais ainda.  Apenas saiba que ele o levou de mim, decidindo me prender.

Decidindo me punir.

Ele achou que assim me deixaria longe de seus brinquedinhos. Que assim me afastaria dela.

Mas nada vai me deixar longe dela.

Nada.

Ele pode tentar tirá-la de mim, mas por todos os deuses existêntes em todos os espaços-tempo, vou encontrá-la.

Ela é tudo o que sempre quis ter. Minha filha. E ele sabe disso.

Maldito o dia em que coloquei meus olhos, minhas mãos e meus lábios nele! Um deus ególatra que zombou de meu amor e devoção. 

E não suficiente, agora me pune impiedosamente. Me forçou a abandoná-la! 

Por cinco anos a procurei...

Finalmente a encontrei.

O único momento em que pude me aproximar dela quase custou minha existência. Tive que entrar em um velho e desgastado corpo humano, esperá-la numa rua naquela cidade enorme e marcar sua mão para que pudesse rastreá-la, saber onde estaria. Tive sucesso, mas tive que lhe causar dor. Isso quebrou meu coração. Todas as vezes que tenho que lhe causar dor me parte a alma. Mas tudo bem, pois sei que ela entenderá que o que aconteceu naquela noite em seu apartamento foi para seu próprio bem.

Mas não posso me aproximar dela no mundo humano sem meu corpo. Preciso encontrá-lo. Preciso me vingar de quem o roubou e já comecei. 

Não vou parar até que ele pague pelo que fez.

E por mais que eu tenha meu plano em mente e tudo anda a meu favor, estranhamente neste momento sou perturbarda por algo que me surpreende.

Não! Droga, não pode ser!

Eu a sinto.

E infelizmente, ela está mais próxima do que eu queria que ela estivesse.

ADARISOnde as histórias ganham vida. Descobre agora