27

9.1K 800 63
                                    

JENNY MILLER

Ops! Esta imagem não segue nossas diretrizes de conteúdo. Para continuar a publicação, tente removê-la ou carregar outra.

JENNY MILLER

Desço as escadas quase chorando, e também quase ou não preparada para os sermões que irei ganhar em vez de um belo hambúrguer.

Meus seios estão muito doloridos e doendo, e estão tão sensíveis que estou evitando tirar com a bombinha.

— Papai... — o chamo baixo quando entro na cozinha, vendo o mesmo mexendo algo no fogão e rapidamente ele se vira ao escutar minha voz sofrida.

— O que? O que aconteceu? — preocupação era visível em sua voz.

— Estão doendo e eu não encontrei o remédio — lhe digo vendo o mesmo soltando o ar.

— Jenny — ela me repreendeu e eu me encolho.

— Desculpa — peço e fugo quando a dor se intensifica.

Escuto ele mexer em alguns medicamentos até aparecer na minha frente com um copo de água e um comprimido.

Pego o copo juntamente com o comprimido e estremeço por conta da amargura.

— Isso é horrível — tomo o resto da água para o gosto sair.

Levanto meu olhar vendo o seu sério, e sorrio amarelo.

— Sente-se, irei colocar seu prato — avisa e choramingo, sabendo que o mesmo está bravo comigo.

— O senhor está bravo? — pergunto enquanto olho o mesmo se movimentar na cozinha.

— Não. Estou apenas desapontado, você tem que se cuidar Jenny, você sabe muito bem o que aconteceu na última vez que não conseguiu aguentar a dor — fala e eu me lembro do acontecimento.

— Desculpa — peço mais uma vez.

— Eu lhe desculpo, mas na próxima vez tenha um pouco de responsabilidade — diz e eu assinto de cabeça baixa.

Reprimi a vontade de fazer uma careta quando vejo o prato em minha frente.

Purê de ervilha, legumes e frango.

— Coma — manda e deixa um beijo rápido em meus cabelos.

Coloco a primeira colherada na boca e sorri. É melhor comer, ela já está mais bravo que o normal.

Mesmo sem vontade eu consigo comer toda a comida que estava no prato.

— Boa noite papai — digo e ele me dá outro beijo.

— Boa noite minha filha — responde, e subo para o quarto ainda com um pouco de dor.

Em cinco minutos eu tomo um banho, escovo os dentes e visto um babydoll de cetim.

Sinto uma pontada de dor e choramingo enquanto escovo meus cabelos. Abri a gaveta da minha penteadeira e pego a bombinha.

Me levanto a deixando em cima da mesinha e tiro minha blusa.

𝐌𝐘 𝐋𝐈𝐓𝐓𝐋𝐄 𝐆𝐈𝐑𝐋Onde histórias criam vida. Descubra agora