25

10.3K 802 62
                                    

JENNY MILLER

Ops! Esta imagem não segue nossas diretrizes de conteúdo. Para continuar a publicação, tente removê-la ou carregar outra.

JENNY MILLER

Deixo um mínimo gritinho escapar quando Perséfone abre mais ainda as minhas pernas.

— Porra... sua boceta está praticamente pingado — diz rouca e estremeço quando ela passa o indicador do meu clitóris até a minha entrada.

— Perséfone... — choramingo manhosa.

— Calma meu amor — ela diz aquela palavra que tem quatro letras mas eu nem raciocinei direito.

Porra... a boca dela está em minha boceta.

— Caralho, que gostoso... Perséfone! — gemo um pouco alto mas logo me calo mordendo o travesseiro.

Sinto ela agarrar minhas coxas as apertando, e gritei quando senti sua boca quente em minha boceta lambendo toda a sua extensão até o meu clitóris com um deslize longo e gostoso.

Droga... essa mulher vai me enlouquecer com sua língua.

Um gemido longo e manhoso escapou de minha boca. O que faz Perséfone agarra mais ainda as minhas pernas.

Choramingo esfregando minha intimidade em seu rosto.

— Perséfone... por favor — murmuro com a voz sofrida e ela mergulha mais ainda seu rosto em minha boceta. Afundando sua língua molhada e quente em minha boceta.

Porra faz tanto tampo que não sinto um prazer grande desses.

Mordo com mais força o travesseiro quando seus movimentos com a língua ficam mais rápidos e fortes.

Sua língua não fazia nada de movimentos suaves em minha boceta.

Ela estava literalmente me comendo com a língua, os lábios e os dentes raspando levemente em meu clitóris.

E a cada lambida e chupada eu conseguia ouvir seus gemidos de apreciação por está me comendo com a língua.

Meus quadris se esfregavam contra ela sem pudor nenhum e minhas pernas tremeram.

Perséfone deslizou a língua até o meu interior, fazendo o clímax se acumulando sob minha pele e meu ventre se aperta.

— Porra Perséfone... eu vou goza! — gemo gozando em sua língua e ela geme em apreciação ao sentir meu gosto.

PERSÉFONE SCOTT

Doce... sim caralho como ela é doce!

Desfiro um tapa em sua bunda que está empinada.

Olho para ela molinha na cama depois de ter gozado em minha boca.

— Gostou amor? — pergunto com um sorriso me deitando ao seu lado.

Minha boceta está pulsando querendo alívio? Sim ela quer... mas eu prefiro ficar aqui deitada.

— Para de me chamar desse jeito! — pede resmungando com um biquinho.

𝐌𝐘 𝐋𝐈𝐓𝐓𝐋𝐄 𝐆𝐈𝐑𝐋Onde histórias criam vida. Descubra agora