Episódio Vinte e Cinco: Dejavu

21K 2.3K 9.3K
                                    


[NOTAS] To triste :c penúltimo capitulo de Lucky :c

Espero mesmo que cês gostem desse capitulo, de como foi o desenvolvimento, eu sei que foi uma jornada difícil até aqui, mas o Gguk da Sorte e o Taetae azarado vão se despedir em breve, provavelmente no mês que vem <3

Comentem, votem, apoiem a historia agora no fim tá? amo vocês

+++++++++++++++++++++++++

JEONGGUK

Eu ouvi tudo que a médica disse como se estivesse anestesiado, Taehyung estava bem apesar do desmaio, porém ele tinha um coagulo no cérebro, numa área difícil e que aparentemente esteve lá por muito tempo, talvez quase sua vida toda. Eles fariam mais exames e tentariam todas as possibilidades antes de afirmarem um diagnóstico, mas as chances não eram boas. Eu ouvia as vozes dos outros a minha volta depois disso como se estivessem muito longe, vovô, Jin-hyung, JiSoo-noona... Jimin-shi me pedindo desculpas por não ter visto nada disso antes. Quis dizer algo pra eles, mas não disse nada. Eu nunca dizia nada quando realmente precisava dizer.

— Você pode vê-lo primeiro, o senhor Kim insistiu muito pela sua presença, os outros apenas amanhã — a médica disse e assenti, seguindo atrás dela até o quarto, ainda sem dizer nada. Talvez eu pudesse ficar mudo o resto do dia se eu não visse Taehyung sentado na cama, com o camisão hospitalar três vezes o seu tamanho, olhando pra mim com olhos baixos. Ele parecia tão pequeno... — Vinte minutos, ele vai ficar aqui até todos os exames saírem. Amanhã veremos se a alta é possível — ela concluiu e assenti, observando-a ir embora e depois voltei os olhos para Taehyung.

— Ggukie-ah... — Tae murmurou, caminhei até perto dele, tinham ligado o soro no seu braço direito e enfaixado o braço esquerdo, quando desmaiou ele caiu de mau jeito, não tinha quebrado, felizmente.

— Sabia disso. Sabia do coágulo, não é? — perguntei, ele não respondeu e pela expressão nem era preciso de resposta — Por que não disse nada? Por que escondeu isso? Se tivesse me dito, eu teria feit-

— Exatamente — ele cortou o que dizia — Ggukie-ah... — ele fez uma pausa — Ggukie-ah, eu não queria jogar mais esse peso nas suas costas. A única coisa que eu quero de você, é amor. Nada mais. Quando nós testamos a minha sorte, imaginei que isso significava que a maldição tinha quebrado e eu estava livre do coágulo. Não tinha porque te contar, eu achei que estava tudo bem.

— Mas... Mas não estava — meus olhos encheram de lágrimas rápido, eu não queria chorar, mas provavelmente iria.

— Depois que entendi que te amava, eu não queria mais nada. Não pediria nada além. Se você soubesse antes, tentaria me curar e se não acontecesse um milagre, se sentiria culpado e eu nunca quis que se sentisse assim — olhei nos olhos dele, e Taehyung sorriu pra mim — Eu te amo... Não é sua culpa.

— Tae, eu n- — eu deixei as lágrimas caírem dessa vez, tentar conter seria estúpido.

— Ggukie-ah — ele tocou meu rosto com a mão enfaixada e isso me fez chorar mais — Não chora, ok?! — me fez erguer o rosto e olhar em meus olhos — Não fica assim... Quem vai morrer sou eu — fechei a cara pra ele e Tae riu baixo, beijando meu olho esquerdo — Essa piada nunca fica velha.

— Você é um idiota — se sua piada boba serviu de algo, ao menos eu não continuei chorando.

— Vai ficar tudo bem — ele beijou minha bochecha, mantendo seu rosto perto do meu, a testa encostada na minha — Não muda muito, você só precisa continuar me desejando sorte todos os dias, como sempre foi — quando ele disse isso, eu senti meu peito apertar.

Lucky: e o Coelho da SorteOnde histórias criam vida. Descubra agora